PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Demissão na Band inicia guerra de fofoqueiros por vaga

Aaron Tura, fofoqueiro demitido pela Band após publicar mentiras sobre a família de Gugu Liberato - Divulgação/ Band
Aaron Tura, fofoqueiro demitido pela Band após publicar mentiras sobre a família de Gugu Liberato Imagem: Divulgação/ Band
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

15/12/2019 08h46

Resumo da notícia

  • Aaron Tura participava do "Melhor da Tarde
  • Ele também comanda o detestável site sensacionalista TV Foco
  • Sua última mentira envolveu a família de Gugu e Cabrini

A demissão de Aaron Tura no programa de "Melhor da Tarde", pela Band, na semana passada, causou dois sentimentos distintos.

Por um lado foi comemorada de forma quase absoluta nas redes sociais: famosos, advogados, assessores, jornalistas e internautas felicitaram a decisão da Band.

Aaron é um caso raro de unanimidade. Quase ninguém o suporta no mundo da cobertura de famosos. Muito menos os famosos.

Ele há anos comanda um site sensacionalista e mentiroso que altera informações publicadas por outros jornalistas (este que vos escreve inclusive).

Aaron e sua equipe também mentem, desvirtuam fatos, alteram situações e, mais que tudo, sensacionalizam praticamente todos os títulos das "matérias" (sic). O objetivo é obter cliques. Custe o que custar.

Mas, o pior ainda não é isso: depois de distorcer e mentir em informações alheias, o site (TV Foco) dá o crédito pelas mentiras que acaba de publicar ao seu autor original.

Advogados ouvidos pela coluna afirmam que só isso já configura calúnia, difamação e violação de direitos autorais. Cabem ações de danos morais e materiais, já que ele está jogando o nome de profissionais terceiros na lama.

Na semana passada Aaron e sua equipe inventaram mais uma mentira a respeito da família de Gugu (morto no final do mês passado), dizendo que ela "teria" se desentendido com o jornalista Roberto Cabrini.

Um dia antes apelaram para uma imagem de Ísis Valverde amamentando seu bebê e criaram uma chamada absolutamente desclassificada e indecorosa. Quando o caso viralizou, correu tirar o texto do ar. É essa sua praxis.

Sobre Gugu era mentira também, claro. A eterna escudeira e assessora de Gugu, Esther Rocha, gravou uma série de áudios enviados para a redação do TV Foco. Os áudios viralizaram nas redes.

Emocionada, ainda muito afetada com a morte do amigo e sócio com quem conviveu 30 anos. Esther desmoralizou e colocou Aaron, o TV Foco e sua equipe no devido lugar. E pelo tom não é um lugar agradável.

Os áudios chegaram à cúpula da Band, aos ouvidos de Cátia Fonseca e ele foi demitido anteontem.

No entanto, Aaron continuará aparecendo como uma espécie de alma penada no "Melhor da Tarde" até o fim deste mês. Os programas de fim de ano já estavam gravados. Quem sabe o que nos aguarda ainda?

Fase 2

Mal a cadeira de Aaron Tura esfriou na sede do Morumbi e começou uma guerra encarniçada nos bastidores da Band e fora dela entre interessados em substituir o colunista abatido.

O primeiro a se oferecer, ainda na quinta, foi um repórter da própria Band, que gostaria de mudar de horário de trabalho e se acha pronto e com boas fontes para agregar.

Outro que corre atrás da vaga é o repórter de um site de fofocas e notas de novelas. Ele já tentou falar até com o diretor do programa e marido de Cátia, Rodrigo Riccó, pedindo reunião.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops

Ricardo Feltrin