PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Demitido da TV Escola, apresentador faz desabafo pró-educação

Jornalista Murilo Ribeiro, ex-apresentador do"Salto Para o Futuro", da TV Escola - Reprodução/YouTube
Jornalista Murilo Ribeiro, ex-apresentador do"Salto Para o Futuro", da TV Escola Imagem: Reprodução/YouTube
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

09/01/2020 00h09

Resumo da notícia

  • Murilo Ribeiro ficou na TV Escola por quase 20 anos
  • Ele está entre as dezenas de demitidos por Bolsonaro
  • TV dá ênfase às transmissões em Libras, a linguagem dos surdos
  • "Olavetes" se apoderaram e destruíram uma das melhores TVs do país

O jornalista e apresentador Murilo Ribeiro foi um entre as dezenas de demitidos da TV Escola nos últimos dias.

Ele trabalhou na emissora por quase 20 anos. Antes de sair apresentava o "Salto Para o Futuro", um programa diário dedicado a auxiliar a formação de professores do ensino fundamental e médio.

Em seu canal no YouTube, Murilo publicou ontem um desabafo apaixonado e comovente sobre a emissora em que passou as últimas duas décadas.

"Luto na Educação: Bolsonaro decreta Fim da TV Escola" foi o título do vídeo postado por ele.

Aqui vale um adendo da coluna: o presidente da República, de fato, não está acabando com a TV Escola. Tampouco as demissões têm por finalidade economizar dinheiro público, como esta coluna publicou esta semana.

Bolsonaro está, isso sim, "aparelhando" a emissora pública (e a TV Brasil) com seus apoiadores. Algo que passou a campanha eleitoral em 2018 condenando e recriminando nas administrações petistas.

A verdade é que nem o PT se atreveu a mexer na TV Escola, que até Bolsonaro por a mão tinha uma das melhores programações —senão a melhor— da TV brasileira.

"Se você nunca viu a TV Escola e está batendo palma para o fim de um canal educativo, e fica repetindo que 'acabou a mamata', eu preciso te dizer que te desprezo profundamente. Esse vídeo não é para você. Pode sair. Vou dar até um tempo pra você procurar algum outro vídeo dizendo que a terra é plana", diz o apresentador na abertura (demolidora) do vídeo.

"O objetivo da TV Escola", continua, "sempre foi contribuir para que professores de todo o Brasil conseguissem planejar aulas mais ricas."

"Dizer que a TV Escola não dá audiência diz mais sobre o desinteresse do Brasil em educação do que propriamente sobre a programação do canal", afirma.

"Nós sempre soubemos que um país melhor só virá quando a educação for prioridade de governo, e não apenas slogan de campanha."

Além da TV Escola, o "bolsonarismo" também está aparelhando a TV Brasil. No final do ano passado o filho de um general foi nomeado para um cargo comissionado na direção da emissora pública.

O salário dele é de R$ 11 mil, quase o triplo da média do canal. O nomeado é recém-formado.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops

Ricardo Feltrin