PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Recém-lançada, biografia de ex de Senna já vai parar na Justiça

Adriane Yamin durante entrevista a Eliana (SBT) em dezembro de 2016 - Reprodução/SBT
Adriane Yamin durante entrevista a Eliana (SBT) em dezembro de 2016 Imagem: Reprodução/SBT
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

20/01/2020 00h09

Resumo da notícia

  • Adriane Yamin namorou Senna entre 85 e 88
  • Ela lançou sua autobiografia no final do ano passado
  • Uma escritora, no entanto, diz que escreveu boa parte da obra
  • Se não houver acordo, ambas se enfrentarão nos tribunais

"Minha Garota", livro que conta os quatro anos de namoro entre Ayrton Senna e Adriane Yamin, mal foi lançado e já pode virar alvo de um complicado caso nos tribunais.

Adriane, 50 anos, herdeira da família que lançou as duchas Corona, lançou o livro no final do ano passado, caracterizado de produção independente (ou seja, sem editora contratada).

Ela assina o livro de 730 páginas, recheado com centenas de fotos.

Segundo a coluna apurou, no entanto, a escritora Malu Magalhães decidiu entrar com uma ação provavelmente para exigir co-autoria, além de indenização por danos morais e de imagem.

Malu foi contratada com ghost-writer (autora oculta, grosso modo) por Adriane em janeiro de 2018 e teve o contrato rescindido por telegrama em maio do mesmo ano.

No telegrama, a representante de Adriane Yamin afirma que o motivo da rescisão é "insatisfação com o serviço prestado, uma vez que não foi concluída a 2ª fase"

Malu assinou o contrato por R$ 25 mil e recebeu R$ 10 mil. Ela disse a amigos que se surpreendeu ao ver que o livro foi lançado pois acreditava que a rescisão significava que seu trabalho não seria utilizado.

Apesar disso, disse ainda, uma amostragem do livro publicado "provaria" que Adriane usou seu trabalho em larga escala.

Assim como ocorre nos processos de acusação de plágio, um perito judicial oficial deverá ser indicado pela Justiça para efetuar uma auditoria e comprovar —ou não— a afirmação da escritora.

O advogado da escritora, Paulo Tarso Vasconcellos, ressaltou que entende que não é lícito que, após a realização do trabalho, a contratante tenha rescindido o contrato para se esquivar do pagamento mas, ainda assim, tenha utilizado o serviço prestado.

Outro lado

Por sua vez Adriane Yamin, também segundo apuração desta coluna, deve entrar com um "contra" processo contra Malu, supostamente por calúnia, difamação e quebra de cláusula de sigilo.

Procurada, a advogada de Adriane também não se recusou a falar sobre o assunto, apenas que tomará as medidas cabíveis.

Quem é Adriane

Conforme esta coluna publicou com exclusividade em 2016, quem descobriu o "romance secreto" de Adriane Yamin e Ayrton Senna (1960-1994) foi a produção do programa "Eliana".

Por mais de um ano Eliana negociou uma entrevista exclusiva com a ex

do piloto morto em 1994 durante o GP de Ímola, na Itália.

No dia 18 de dezembro de 2016 finalmente a entrevista foi ao ar.

Foi a primeira vez que ela falou abertamente sobre seu relacionamento com Senna. Eles namoraram entre 1985 e 1988.

"Cansei de ouvir minha história sendo contada por outras pessoas. É hora de eu mesma dizer o que vivi com ele", disse então Adriane a Eliana.

"Minha Garota" está sendo vendido pela Amazon em e-book por R$ 24,99.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Ricardo Feltrin