PUBLICIDADE
Topo

Pandemia: Pela 1ª vez, Silvio Santos adia sorteio da Tele Sena

Silvio Santos, dono e apresentador do SBT - Reprodução/SBT
Silvio Santos, dono e apresentador do SBT Imagem: Reprodução/SBT
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

02/05/2020 14h40

A pandemia de coronavírus fez mais uma vítima, só que dessa vez não humana: o sorteio da Tele Sena.

Pela primeira vez desde que foi criada por Silvio Santos, em 1991, a Tele Sena não teve o sorteio semanal e os sorteios diários feitos esta semana.

Eles vão voltar na segunda-feira, segundo o site oficial do Grupo SS.

Segundo nota oficial da Liderança, o motivo da suspensão foi a dificuldade de conseguir auditores para ficarem presentes ao sorteio.

"Devido a uma série de fatores relacionados a pandemia, como acesso irrestrito ao local de sorteio, auditoria, entre outras questões operacionais, alguns sorteios foram prorrogados, o que foi amplamente divulgado. A venda continua em crescimento e o adiamento permitirá que os consumidores possam adquirir por mais tempo os títulos da campanha de Mães/2020, que é um recorde de premiação", diz a nota enviada pela Liderança a esta coluna.

A coluna, porém, apurou que o motivo real do adiamento seria a queda nas vendas, agravada pela pandemia. Isso porque o público-alvo do produto são justamente os idosos —ou seja, aqueles que devem evitar sair às ruas e ficar em filas, como as das lotéricas.

Outro motivo para desconfiar da versão oficial é que, historicamente, os sorteios semanais são feitos todos de uma só vez.

Ou seja, se foi feito o 1º sorteio semanal da Tele Sena Dia das Mães, a tradição aponta que o 2º e o 3º também já foram feitos e gravados na presença de auditores.

O único que não foi realizado, portanto, seria o sorteio final.

A Tele Sena tem uma enorme importância como fonte de receitas não só para o Grupo SS como um todo, mas também para o SBT: ao lado da Jequiti, é um dos grandes anunciantes da emissora.

Tele Sena passou anos sob ataque

A Tele Sena já foi alvo várias vezes de processos e tentativas judiciais de tirá-la de circulação. Uma ação popular pedindo a decretação de ilegalidade foi lançada um ano após o surgimento do produto.

Uma das acusações era de que se trata de um "bingo disfarçado".

Porém em todas as instâncias do Judiciário a Tele Sena foi considerada absolutamente legal.

O último "golpe" que o título de capitalização do Grupo SS sofreu foi da Caixa Econômica Federal e do próprio governo federal este ano: a proibição de sua venda em agências de correios e nas Lotéricas.

A venda já deveria ter sido interrompida no início de abril, mas por enquanto prossegue. As vendas em lotéricas representam cerca de 40% das vendas

A Tele Sena vem sofrendo outras dificuldades nos últimos anos, como a volta dos bingos regionais, ora autorizados pelo governo. Alguns desses bingos chegam a sortear R$ 1 milhão por semana, tornando o título de Silvio Santos menos atraente.

A Tele Sena é um título de capitalização, modalidade de pagamento único, lançado pela Liderança, uma das empresas do Grupo Silvio Santos.

Bancos também têm títulos de capitalização, mas quase todos são modalidade de pagamento mensal. O cliente assina um contrato, faz os pagamentos mensalmente e concorre a prêmios diversos.

No final do prazo, recebe de volta parte do valor que gastou no título.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

Ricardo Feltrin