PUBLICIDADE
Topo

Ibope: SBT despenca 30% em um ano e deixa Silvio em pânico

Silvio Santos está tenso com a situação do SBT - Reprodução / Internet
Silvio Santos está tenso com a situação do SBT Imagem: Reprodução / Internet
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

11/06/2020 13h14

Mesmo para os padrões de comportamento de Silvio Santos, muita gente está se surpreendendo com a quantidade de mudanças que o dono do SBT tem feito na grade de sua emissora nos últimos dias.

Silvio está "com a macaca", diria o próprio sobre sua fase atual. Bom, é mais pura verdade. Assim como é verdade que ele tem motivos mais que sólidos para estar em pânico.

Dados de audiência consolidada mostram que nestes primeiros 10 dias de junho, na média 24 horas, o SBT já perdeu 30% de seu público na Grande São Paulo, comparados com os primeiros 10 dias de junho de 2019.

Sim, todas as TVs tiveram queda de audiência nessa medição, mas nenhuma chega nem perto do que está ocorrendo —negativamente— com a TV de Silvio Santos.

Isso representa a perda de dois pontos de audiência na Grande São Paulo; são 150 mil domicílios; ou mais de meio milhão de telespectadores.

Com programação baseada em reprises, enfadonha, com seu jornalismo fraquíssimo e popularesco, o SBT perdeu 1 em cada 3 telespectadores.

Segundo os números, mensurados pela Kantar Ibope Media e obtidos pela coluna junto a terceiros, a queda não parece ser um fenômeno "sazonal". Não.

Mês a mês o SBT vem perdendo ibope e participação no universo de TVs ligadas em São Paulo. Em alguns dias da semana em que a emissora ia muito bem, como os sábados, a situação já está se tornando dramática.

O mesmo tem ocorrido nas tardes e início da noite. Daí, provavelmente, o desespero de Silvio, que fica mexendo e remexendo no Fofocalizando/Triturando, Casos de Família, novelas mexicanas, WWE etc.

TV reprise

A situação obviamente se agravou a partir de dezembro, já que desde então a emissora de Silvio virou basicamente uma exibidora de reprises (e de jornalismo fraquíssimo).

Com a pandemia de coronavírus o problema só se agravou. O SBT teve de prolongar os repetecos de programas —inclusive os do seu próprio dono.

Para efeitos de comparação, a Record perdeu pouco mais de 13% no mesmo período. A Globo, RedeTV e Band perderam de 5% a 10%.

A despeito da quarentena e do confinamento, o total de TVs ligadas também caiu: -5% na comparação junho de 2020 e junho de 2019.

A queda de ibope do SBT no período, no entanto, só se compara à queda dos canais pagos, que também perderam quase 30% de público em um ano.

Grupo SS cheio de problemas

Se Silvio tivesse problemas só com o SBT ainda seria um mal menor.

Sua preocupação também decorre da situação de todo o Grupo SS, que está sendo muito afetada pela quarentena e o fechamento da economia.

Empresas do grupo, como a Jequiti Cosméticos e Liderança (Tele Sena), estão vendo suas receitas evaporarem com o distanciamento social.

Afinal, ninguém está preocupado em comprar (ou vender) perfumes quando virou desempregado, "bolsista" do governo ou teve seu salário reduzido. Ou não sabe se terá emprego daqui em diante.

Já no caso da Tele Sena, o negócio foi atingido em cheio pelo fato de seus consumidores principais serem a população com mais idade. Os idosos são um dos principais grupos de risco do coronavírus.

Além disso a Tele Sena já vinha sofrendo havia meses a concorrência de bingos regionais e de outros títulos de capitalização.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

Ricardo Feltrin