Topo

TV e Famosos


Preterida por reprise bíblica, "Escrava Mãe" terá sexo, sangue e mortes

Gisele Alquas

Do UOL, em São Paulo

06/11/2015 07h00

Apresentada inicialmente como substituta de “Os Dez Mandamentos”, “Escrava Mãe” tinha a difícil tarefa de manter o sucesso de audiência de sua antecessora. Porém, o “pecado” de não ser uma novela bíblica fez a Record desistir de colocá-la no ar em seguida com receio de perder o fiel telespectador de tramas religiosas.

Mas “Escrava Mãe” é um spin-off, pode-se se dizer, de outro grande sucesso da teledramaturgia brasileira. A trama vai contar a história de Juliana, mãe da escrava Isaura – que deu origem ao nome da novela homônima da obra de Bernardo Guimarães estrelada por Lucélia Santos, em 1976, e vendida para vários países. A Record fez o remake da novela em 2004.

Juliana é filha de Luena (interpretada pela ex-Globeleza Nayara Justino), e fruto de um estupro. Durante viagem no navio negreiro que trouxe africanos da região de Angola para o Brasil, Luena foi estuprada pelo traficante de escravos Osório (Jayme Periard). Ao chegar ao país, ela consegue escapar, morre, e Juliana acaba virando escrava da família de Custódio (Antonio Petrin). A menina foi criada com as filhas do coronel e virou mucama de Teresa (Roberta Gualda) e perseguida de Maria Isabel (Thais Fersoza), que por ter ciúme e inveja dela, sempre a odiou.

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/em-escrava-mae-thais-fersoza-intepreta-a-vila-maria-isabel-1446760626761.vm')

Juliana se apaixona por Miguel (vivido pelo ator português Pedro Carvalho), o mocinho da história. Ele chega à Vila de São Salvador (cidade fictícia) em busca de novas oportunidades e desperta a atenção das mulheres da cidade, como Maria Isabel. Eles se casam por interesses, mas ele se apaixona por Juliana. E Maria Isabel desenvolve uma obsessão pelo marido e pela escrava.

Ambientada na região norte fluminense (atual Campos dos Goytacazes) nos anos de 1800, a trama contará com aproximadamente 35 personagens fixos e prevista para ir ao ar com 150 capítulos. Escrita por Gustavo Reiz e com direção geral de Ivan Zettel, as gravações acontecem no Polo Cinematográfico de Paulínia e em uma fazenda em Santa Gertrudes, ambos no interior de São Paulo, desde o final de maio. A data de estreia ainda é uma incógnita.

No dia 23 de outubro, conforme divulgou o colunista e crítico do UOL Maurício Stycer, a Record alterou os seus planos e decidiu manter a faixa das 20h30 como exclusiva de teledramaturgia inspirada na Bíblia. Assim, em vez de estrear “A Escrava Mãe”, a emissora resolveu colocar no horário reprises das séries produzidas nos últimos anos, até a estreia de “A Terra Prometida” - uma continuação de “Os Dez Mandamentos” – em março de 2016. A primeira série a reestrear será “Rei Davi”, exibida originalmente em 2012.

“Escrava Mãe” vai inaugurar uma segunda faixa de novelas da emissora, em um horário mais cedo, o que afetou a produção e elenco, que estariam insatisfeitos. Ao colunista do UOL Flavio Ricco, a Record explicou que não existem motivos para insatisfações no elenco da trama. Segundo a emissora, todos os atores foram contratados para fazer a novela e as obrigações com eles estão sendo cumpridas normalmente.

Sexo, sangue e mortes

Gabriela Moreyra (Juliana), Maria Isabel (Thais Fersoza), Pedro Carvalho (Miguel) e Fernando Pavão (Comendador Almeida) são os protagonistas de “Escrava Mãe”. O UOL visitou o set de gravações em Paulínia e conversou com os atores, que estavam eufóricos para a estreia da novela – até então eles acreditavam que a trama substituiria o fenômeno “Os Dez Mandamentos”.

Gabriela encara o desafio de interpretar sua primeira protagonista. Para se preparar para a personagem, ela leu livros e assistiu filmes sobre a escravidão. “Vi Xica da Silva, ’Amistad’, ‘A Cor Púrpura’, ’12 Anos de Escravidão”. A novela vai ser um divisor na minha vida, na minha carreira, não só pela história e pela visibilidade, mas também pela oportunidade de mostrar o meu trabalho”, conta a atriz, que fez testes com outras 40 atrizes para garantir o papel.

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/fernando-pavao-sera-o-vilao-comendador-almeida-em-escrava-mae-1446760862671.vm')

Interpretando sua quarta vilã na TV, Thais Fersoza disse que Maria Isabel é a personagem mais emblemática de sua carreira. “Ela mata pessoas, tira sangue. Em uma das cenas ela chicoteia um escravo e sorri, saboreia aquilo. Me deu uma dor no coração. São cenas muito intensas, mas ao mesmo tempo é uma delícia. Eu adoro novela de época”, conta a atriz, que ficou um ano longe da TV para se dedicar ao casamento recente com o cantor Michel Teló.

No Brasil desde abril para viver Miguel, o português Pedro Carvalho afirma que realiza um sonho de estar em uma novela brasileira. Quando foi convidado e leu o roteiro de “Escrava Mãe”, o ator ficou fascinado pela trama. “Minha primeira novela de época e me apaixonei pelo texto do Gustavo Reiz, faço qualquer novela dele", elogia. Miguel chega de Portugal para tentar descobrir o que aconteceu com seus pais, que desapareceram. Se casa com Maria Isabel por algum tipo de interesse, mas se apaixona pela escrava Juliana. “Espero que o público goste dele. Estou muito ansioso para ver a reação das pessoas”, comemora.

Sempre com papeis de mocinho, Fernando Pavão agora foge do estereótipo com o malvado Comendador Almeida. É um homem de caráter duvidoso, que procura manipular o filho sempre que pode. Vaidoso, sedutor, de porte e aparência sofisticados, vai se casar com Teresa por interesse, mas é obcecado por Juliana. “É um cara inescrupuloso, quer ficar rico e que as escravas o sirvam o tempo todo com favores sexuais. Estou adorando fazer vilão, é muito mais divertido”, declara Pavão. 

"Escrava Mãe" ainda tem no elenco Junno Andrade, Zezé Motta, Luiz Guilherme, Henri Pagnoncelli, Bete Coelho, Milena Toscano, Roger Gobeth, Lidi Lisboa, entre outros. 

Mais TV e Famosos