PUBLICIDADE
Topo

Preso sob acusação de abuso sexual, Bill Cosby paga fiança de US$ 1 milhão

O ator Bill Cosby chega à corte do condado de Montgomery - AP/EFE
O ator Bill Cosby chega à corte do condado de Montgomery Imagem: AP/EFE

Do UOL, no Rio

30/12/2015 18h17Atualizada em 31/12/2015 08h22

Bill Cosby, 78, foi preso nesta quarta-feira (30), no condado de Montgomery, na Pensilvânia, após ser formalmente acusado de abusar sexualmente de uma mulher doze anos atrás. O comediante foi liberado após entregar seu passaporte e pagar sua fiança calculada em US$ 1 milhão (cerca de R$ 4 milhões).

A acusação refere-se ao caso de Andrea Constand, que acusou Cosby de drogá-la e colocar as mãos por baixo da calça dela em sua mansão, em janeiro de 2004. Ela estava "congelada, paralisada, impossibilitada de se mover", disse o procurador-geral-assistente Kevin Steele ao anunciar as acusações, poucos dias antes de o crime prescrever - no estado norte-americano da Pensilvânia, crimes sexuais podem ser denunciados em até 12 anos após sua ocorrência.

"Hoje, após o exame de todos os indícios, podemos buscar justiça em nome da vítima", afirmou Steele. O procurador disse que novas informações sobre o caso vieram à luz este ano e que a vítima está disposta a cooperar.

Ao chegar no tribunal, na tarde desta quarta, o ator se declarou inocente da acusação. Vestindo um moletom, Cosby foi rapidamente escoltado para evitar a multidão de jornalistas na porta do tribunal. Ele teria concordado em não ter nenhum contato com Andrea. 

Este é o primeiro caso criminal envolvendo o artista após anos de denúncias. Se condenado, Cosby pode pegar de cinco a dez anos de prisão e ter de pagar uma multa de US$ 25 mil.

Atualmente com 42 anos, Andrea Constand trabalha como massoterapeuta em Ontario, no Canadá. Na época, ela era funcionária da Universidade de Temple. Cosby disse que o ocorrido entre os dois foi consensual, mas a ela afirmou em juízo que estava em um relacionamento com uma mulher na época do abuso.

Advogada de Constand, Dolores Troiani comemorou a decisão ao falar com a “People”. “Nós apreciamos a confiança depositada nela. Temos que ver o que irá acontecer. Esperamos que a justiça seja feita. Iremos cooperar totalmente [com as investigações]”.

O caso de Constand foi reaberto no meio do ano pela promotora Risa Vetri Ferman, que enviou investigadores ao Canadá para entrevistá-la. Constand havia denunciado o crime às autoridades na época do ocorrido, mas o promotor responsável optou por não acusar Cosby.

Em entrevista à agência de notícias Associated Press, Gloria Allred, advogada que representa outras supostas vítimas, disse que a prisão de Cosby a pegou de surpresa. "Eu não fazia ideia de que isso ia acontecer nesta manhã. Vai ser o maior caso criminal deste tipo envolvendo uma celebridade neste país. Estou feliz que este dia chegou”, comemorou a advogada.

Acusações

Mais de 50 mulheres acusam Bill Cosby de abuso sexual. Uma delas é a atriz Lili Bernard, que atuou no "The Cosby Show". Ela alega que foi drogada, estuprada e ameaçada enquanto se preparava para atuar no programa. O ator nega todas as acusações.

Em meio às acusações, a carreira artística de Cosby sofreu alguns revezes. A Netflix adiou um especial com o comediante cujo lançamento era para acontecer no ano passado. Já a NBC engavetou o projeto de uma série que estava desenvolvendo para o ator protagonizar.

No início de dezembro, o ator abriu processo contra sete das mulheres, acusando-as de difamação e dizendo que ela são "malvadas, oportunistas, falsas e difamatórias".

*Com informações da agência Reuters