TV e Famosos

Diretora de "Making a Murderer" não descarta uma segunda temporada da série

Do UOL, em São Paulo

27/02/2016 00h06

Sucesso do Netflix, “Making a Murderer” pode ganhar uma continuação. Em entrevista à revista Variety, Laura Ricciardi, uma das diretoras da série documental, disse que tem falado com a nova advogada de Steven Avery, Kathleen T. Zellner, com a perspectiva de continuar as filmagens.

“Do nosso ponto de vista, a história não acabou. Os casos de Brendan Dassey e Avery ainda estão pendentes. Nós não sabemos quando o magistrado vai tomar uma decisão no caso de Brendan. O juiz pode ordenar a liberação de Brendan ou pode ordenar um novo julgamento. Na medida em que haja uma evolução significativa no caso, gostaríamos de continuar a documentar o caso”, disse Laura Ricciardi.

Entretanto, a retorno de Laura Ricciardi e Moira Demos, diretoras da série, à cidade de Manitowoc, em Wisconsin, não será nada fácil. De acordo com Stephen M. Glynn , advogado civil de Avery, a população local acredita que o documentário trouxe uma imagem ruim para o município de cerca de 80 mil habitantes.

"Há um monte de hostilidade com estas duas mulheres (Ricciardi e Demos) em Wisconsin. A teoria é que elas têm desempenhado um papel injusto para a cidade. Mas entre aquelas pessoas que pensam e são um pouco mais educadas, não há hostilidade", disse.

Dirigido por Moira Demos e Laura Ricciardi, "Making a Murderer" mostra como Avery, um jovem da cidade de Manitowoc, Wisconsin, é sentenciado à prisão pelo estupro de uma mulher. Dezoito anos depois, um exame de DNA prova sua inocência e ele retoma sua vida no ferro-velho da família na mesma cidade.

Tudo isso é mostrado já no primeiro episódio. O que é narrado nos nove capítulos seguintes poderia ter saído da cabeça dos roteiristas mais inventivos da ficção, mas é tudo verdade. Muito próximo de conseguir uma indenização milionária por sua condenação injusta, Avery se vê novamente investigado por um crime: a morte em circunstâncias suspeitas da fotógrafa Teresa Halbach, cujos ossos carbonizados são encontrados em seu quintal.

Disponibilizada no Netflix pouco antes do Natal, "Making a Murderer" levou 300 mil americanos a assinaram uma petição pedindo a inocência de Avery e Brendan Dassey.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais TV e Famosos

Topo