TV e Famosos

"Estou emocionado e com a boca seca de nervoso", diz Jô sobre despedida

Do UOL, em São Paulo

28/03/2016 18h48Atualizada em 29/03/2016 02h50

Jô Soares se emocionou em sua primeira gravação para a última temporada de seu talk show. Na abertura do programa desta segunda-feira (28), o apresentador admitiu sentir nervosismo apesar dos 28 anos conduzindo entrevistas na televisão.

"Isso não me acontecia há muito tempo. Estou obviamente emocionado e com a boca seca de nervoso", disse Jô Soares antes de entrevistar Marina Silva e o jurista Ives Gandra Martins.

Jô também agradeceu à equipe e ao quarteto (sexteto até 2014), que faz parte do programa desde "Jô Soares Onze e Meia", no SBT: "Estou nervoso e isso não me acontece há tanto tempo... Olhe só, o quarteto me acompanha desde que o Bira era criança! Quero agradecer à equipe técnica, que faz esse programa com tanto amor. Este é um reencontro que me traz muita alegria e eu estou obviamente emocionado".

Aos 78 anos, Jô Soares deixará de apresentar seu talk show, o mais tradicional da TV brasileira a partir de 2017. O apresentador estreou no formato em 1988, no SBT, e está na Globo desde 2000.

"Como todos já sabem, porque foi um assunto muito divulgado, este é o último ano do programa no ar. Ao longo de 28 anos, 'Jô Soares Onze e Meia' e o 'Programa do Jô' totalizaram 14.138 entrevistas, sem contar as que nós ainda vamos fazer esse ano. Haja bunda no sofá!", brincou Jô na abertura do programa.

Jô Soares também fez um balanço dos entrevistados famosos e anônimos que sentaram no sofá de seu programa: "Já sentaram nesse sofá seis prêmios Nobel. Mas o mais importante foi a descoberta de alguns artistas e conversar com alguns dos grandes anônimos do povo brasileiro, aqueles personagens simples com quem você ri, se identifica e se emociona. E quando me perguntam qual foi o meu melhor entrevistado eu digo que é o próximo. Sempre foi e sempre será".

“Sou coxista”
Conhecido por sempre dar a sua opinião sobre a política brasileira, Jô ironizou as ofensas constantes que recebe nas redes sociais. O apresentador afirmou que, dadas suas preferências políticas, ele pode ser chamado de "coxista".

“Sempre tive liberdade para demonstrar todas as minhas tendências políticas, nunca deixei de entrevistar um presidente deste ou daquele partido. Quando entrevistei a Dilma, me chamaram de petista. Quando entrevistei o FHC, virei PSDB. Então eu sou ‘coxista’”, ironizou o apresentador, arrancando aplausos da plateia. “O Lula veio ao programa 13 vezes, o Fernando Henrique dez. Acho que essa é a maior prova de imparcialidade”, completou.

Jô finalizou o seu discurso dizendo que sente saudades do ex-deputado federal Enéas Carneiro, que morreu em 2007 em decorrência de uma leucemia.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais TV e Famosos

Topo