TV e Famosos

Há 6 anos, o país conheceu Geisy Arruda. Como ela ainda se mantém na mídia?

Divulgação/Reprodução/Instagram
Desde que ficou famosa, Geisy Arruda passou por várias fases no visual Imagem: Divulgação/Reprodução/Instagram

Gisele Alquas

Do UOL, em São Paulo

31/03/2016 07h30

Das salas de aula para os programas de TV, e da vida pacata em Diadema, na Grande São Paulo, para o glamour na capital. Geisy Arruda é um caso raro de personalidade da mídia que ultrapassou os 15 minutos de fama. Há seis anos, a ex-estudante de Turismo, que se tornou conhecida como a aluna que foi expulsa da Uniban por usar um vestido curto, atrai flashes e é presença constante em programas de TV e sites de celebridades. Já participou do "Casseta e Planeta", de "A Fazenda", não sai do "TV Fama", lançou biografia, e estampa, pela segunda vez, a capa da revista “Sexy” -- a mais recente será lançada em abril.

O UOL ouviu pessoas que fizeram parte dessa trajetória, além de uma especialista em gerenciamento de carreira para saber o que Geisy Arruda tem tanto a oferecer.

"Acho a Geisy autêntica. Embora hoje ela se apresente com uma estética muito mais refinada do que há seis anos, continua com um jeito simples e descontraído. Tenho a impressão de que ela é menina simpática, além de parecer não ter 'preguiça' do trabalho e gostar do que faz, seja uma gravação de programa de televisão, fotos ou uma presença vip. Ela é dedicada a se manter na mídia dessa maneira, e nisso ela é bem-sucedida”, conclui a publicitária Karla Ikeda, especialista em gerenciamento de carreira e autora do livro “Profissão: Famoso – Como Gerenciar Imagens de Sucesso.”

Era uma quinta-feira, 22 de outubro de 2009, um dia como outro qualquer na vida de Geisy Vila Nova Arruda, então com 19 anos. A estudante de Turismo chegou à universidade, em São Bernardo do Campo [SP], usando um microvestido rosa e seguiria direto para uma balada depois das aulas. Em entrevista ao UOL, Geisy assume que sempre gostou de chamar atenção e usar roupas extravagantes, mas que jamais imaginou a proporção que aquele vestido rosa -- que custou R$ 50 -- fosse causar tamanha reviravolta em sua vida.

Divulgação
Geisy Arruda com o vestido que causou sua expulsão da Uniban, no fim de 2009 Imagem: Divulgação

No mês seguinte, depois de analisar a conduta de Geisy e dos demais alunos, a Uniban absolveu os “agressores”, culpou a estudante pelo tumulto e decidiu expulsá-la alegando que a "aluna teve uma postura incompatível com o ambiente da universidade por usar trajes inadequados". "A expulsão doeu mais que a humilhação. Mas recebi muito apoio de grupos feministas, que chegaram a protestar em frente a universidade", lembra. A Uniban voltou atrás, mas ela não quis mais estudar na instituição. 

Talvez nem mesmo Geisy tenha se dado conta da fama que ganhou. Logo após o fatídico episódio, ela foi procurada pela Rede Record, que ofereceu e bancou os advogados em troca de exclusividade na emissora, além de ter sido pauta em veículos internacionais, como “CNN” e "The New York Times". Geisy processou a Uniban, pediu R$ 1 milhão, mas entrou em acordo e embolsou R$ 60 mil.

Em 2010, um ano após o ocorrido, Geisy Arruda foi convidada para participar da terceira edição de “A Fazenda”, na Record. O diretor do reality show, Rodrigo Carelli viu em Geisy aquela jovem que poderia causar o mesmo impacto da época da expulsão da universidade dentro do programa.

“Ela ocupava a mídia com a história da 'moça que havia sido rejeitada pela sua universidade'. Queríamos ver se o padrão de comportamento desta história poderia se repetir no confinamento. Por mais que haja críticas a respeito disso, ser uma 'personalidade da mídia' já há um tempo se tornou uma ocupação em si, que envolve uma série de expedientes e esforços específicos e que alimenta uma indústria. O maior exemplo disso são as americanas Kim Kardashian e Paris Hilton. A Geisy deve ter as competências e gerar os interesses que esta indústria exige”, afirma Carelli ao UOL. A ex-estudante saiu na segunda semana do reality show.

Programas populares como o “TV Fama” e o “Superpop”, ambos da RedeTV!, exploram a exaustão a imagem da ex-estudante. Geisy dá audiência, seja como “repórter” ou convidada das atrações, segundo Fábio Martinho, diretor do “TV Fama”.

Ela simboliza a moça simples que sonhava em ficar famosa e chegou lá. É autêntica, fala o que pensa e não tem receio de expor até mesmo seus problemas. Mostra que é de verdade, não faz tipo. Geisy desperta, sim, o interesse e a curiosidade do público, além de saber se comunicar muito bem 
Fábio Martinho

Para Rafael Venturini, diretor do “Superpop”, Geisy sempre é notícia. “Cria ou criam factoides com o nome dela, e, desse modo, ela se torna um personagem que se encaixa em algumas pautas do programa. Ela é um exemplo de subcelebridade que fez de um limão uma limonada”, enfatiza. 

Assessor de vários famosos, entre eles a funkeira Tati Zarqui e os apresentadores Ronnie Von e Mara Maravilha, Roberto Rodrigues classifica Geisy Arruda como “fenômeno”. 

Reprodução/Instagram
Geisy posta foto tomando champanhe Imagem: Reprodução/Instagram

“A maioria dos telespectadores dos programas em que ela participa se identifica muito, tipo ‘ela chegou lá e eu também posso’. É simples, carismática, polêmica e fala o que vem à cabeça”, afirma Rodrigues, que chegou a ser uma das várias pessoas que acreditou que a ex-estudante usou de seu bullying para alcançar a fama.

“Estou nesse mercado há muitos anos e já vi 'personalidades da mídia' serem criados através de armações, mentiras. A maioria das pessoas sonha com a fama e faz qualquer coisa para atingir seus objetivos. Pensei que o caso da expulsão da faculdade teria sido uma das 'estratégias' ou vitimização de um personagem, mas foi provado que não”, ressalta.

Em maio de 2014, Geisy foi assunto novamente nos veículos de comunicação ao anunciar que estava grávida do então namorado, um empresário da noite. Pouco tempo depois, ela divulgou que havia perdido o bebê. Eis que Geisy estava em sites e programas de TV novamente. Ao ser questionada como se mantém na mídia por tantos anos, a ex-estudante se autointitula “uma pessoa interessante”.

“Procuro sempre ter uma opinião formada e me posicionar, acho que por não ter pudores para falar o que penso as pessoas se identificam”, afirma ela, que até hoje guarda o vestido rosa. Com o dinheiro que ganhou, Geisy Arruda comprou uma casa para os pais em Santo André, na Grande São Paulo e mora de aluguel em uma quitinete no bairro Bela Vista, no centro da capital paulista. 

Desde então, a ex-estudante “assumiu” a fama como profissão e soube aproveitar as oportunidades. No ano seguinte, posou para a revista “Sexy” e entrou no ranking das mais vendidas da revista, lançou a biografia “Vestida para Causar” e uma coleção de vestidos rosas em lojas populares, sem contar as inúmeras cirurgias plásticas que se submeteu.

Geisy afirma que não se arrepende de nada do que já fez. Apesar de não ter uma carreira específica, ela segue fazendo presenças vips e diz que não pensa no futuro: "Tudo na minha vida aconteceu rápido. Não sou de planejamento, o que tiver que acontecer vai acontecer. Sigo vivendo e só quero trabalhar cada vez mais".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais TV e Famosos

Topo