TV e Famosos

Namorada de Jim Carrey culpou ator em mensagens suicidas, diz site

The Grosby Group
Jim Carrey com sua namorada, Cathriona White Imagem: The Grosby Group

Do UOL, em São Paulo

18/10/2016 08h03

Namorada do ator Jim Carrey, encontrada morta em setembro de 2015, Cathriona White já havia escrito várias cartas suicidas anos antes de conseguir tirar a própria vida. Segundo o site TMZ, especializado em celebridades, ela escreveu as mensagens durante o relacionamento com o astro de Hollywood.

Durante a investigação, iniciada após a fatalidade, foram descobertos bilhetes em que Cathriona expressava a vontade de cometer suicídio. O primeiro é de outubro de 2012, um mês após a morte de seu pai e dois meses depois do início do relacionamento com Jim.

Na carta, ela falou sobre não se encaixar neste mundo e "ser muito complicada para que pudesse ser amada por qualquer um". Ela também disse que amava o ator e pediu desculpas a ele.

O segundo bilhete foi escrito logo após o término do romance, em maio de 2013. Nele, Cathriona acusa Jim por doenças sexualmente transmissíveis e o culpa pelos seus pensamentos suicidas.

"O meu sangue está em suas mãos", diz um trecho da carta, segundo o TMZ. Em outro, ela escreveu: "Você puxou o gatilho em minha direção". Depois disso, os dois voltaram a namorar até que em setembro do ano passado ela se matou.

Os bilhetes, aponta o site americano, podem ser provas cruciais no processo que é movido pela mãe e o ex-marido de Cathriona contra Jim Carrey.

Na última mensagem de suicídio, encontrada ao lado do corpo de Cathriona, ela mencionou sua decepção amorosa, mas não fez referência a DST ou a seu ex-marido. Apenas disse a Jim: "Você é a minha família". E também fez pedidos sobre seu enterro. 

Jim Carrey se defende de acusação
Danny Moloshok/Reuters
Jim Carrey se defende de acusações feitas pelo ex-marido a mãe de sua namorada Imagem: Danny Moloshok/Reuters
Após ter sido acusado na Justiça de facilitar o suicídio da namorada por ter fornecido os remédios que ela usou para tirar a própria vida, Jim Carrey se manifestou em setembro deste ano sobre o assunto. O processo contra o ator foi aberto por Mark Burton, ex-marido de White -- de quem ela ainda não estava oficialmente separada na época de sua morte.
 
"Que pena. Seria fácil eu me reunir em um quarto com o advogado deste homem para que essa história desapareça, mas existem alguns momentos da vida em que você deve se levantar e defender a honra contra o mal deste mundo. Não vou tolerar essa tentativa desesperada de me explorar ou explorar a mulher que eu amei", disse o ator em um comunicado enviado à revista "People".
 
"Os problemas de Cat surgiram bem antes de nos conhecermos, e infelizmente o desfecho dessa história estava fora do nosso controle. Espero que algum dia as pessoas parem de tentar tirar vantagem e a deixem descansar em paz", concluiu Carrey.
 
White morreu aos 30 anos em setembro de 2015, após ter uma overdose de analgésicos e sedativos. As drogas estavam prescritas para um homem fictício chamado Arthur King, que seria um pseudônimo do ator Jim Carrey, de acordo com o processo.
 
Por uma questão de privacidade, é comum nos EUA que celebridades usem um nome fictício para receitas médicas. Porém, a prática de conseguir receitas com outro nome é ilegal na Califórnia.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais TV e Famosos

Topo