TV e Famosos

Com 6 horas diárias de aula, boyband de "Rock Story" fará show de verdade

Giselle de Almeida

Do UOL, no Rio

21/10/2016 06h22

Prestes a estrear como guitarrista na ficção, Nicolas Prattes brinca que está levando vida de um astro pop. E ele não está se referindo ao glamour da profissão, mas às seis horas diárias de aulas e ensaios para viver Zac, integrante da banda Quatro Ponto Quatro em "Rock Story", a nova novela das sete, que estreia em novembro. O ritmo puxado vem desde julho e continua enquanto a trama estiver no ar, mas agora o desafio é continuar os treinos de canto, dança, instrumentos e a prática em conjunto com as gravações.

"Não é moleza! Não sei nem qual é a cor da parede do meu quarto", brinca o ator de 19 anos, que já tinha experiência em musicais no teatro, mas nunca tinha tocado o instrumento. "Não sou profissional, mas posso dizer que estou começando a me divertir com a guitarra. Não estou um Slash, mas antes eu era um analfabeto. O mais difícil é cantar e tocar. Tem que ter muita prática, não pode pensar. Acho que estou passando dessa fase, esse era o maior desafio", afirma.

Sérgio Zalis/TV Globo
Zac (Nicolas Prattes),Tom (João Vitor Silva), Nicolau (Danilo Mesquita), JF (Maicon Rodrigues) e Jaílson (Enzo Romani) formam a Quatro Ponto Quatro em "Rock Story" Imagem: Sérgio Zalis/TV Globo

Na história de Maria Helena Nascimento, Zac é filho do também músico Gui (Vladimir Brichta), que decide formar uma boyband para fazer frente ao sucesso do rival, Leo Regis (Rafael Vitti). Ao jovem, que cria a partir daí uma relação com o pai, juntam-se Tom (João Vitor Silva), Nicolau (Danilo Mesquita), JF (Maicon Rodrigues) e Jaílson (Enzo Romani).

O coreógrafo e preparador de corpo Rafaelle Casuccio explica que o trabalho com o grupo começou forte no alongamento e no fortalecimento do corpo. "Depois, ensaiamos um vocabulário de passos e chegamos nesse ponto de buscar esses personagens. O resultado em cena tem que ser de cinco meninos que estão se divertindo juntos, mas soltos, como se não houvesse uma coreografia, um movimento coreografado. Esse é o grande desafio", diz.

Embora grupos como One Direction e Five Seconds of Summer tenham servido de referência, o coreógrafo ressalta que o conceito de boyband hoje é diferente do que era nos anos 80 e 90. 

"Não é Backstreet Boys ou New Kids on the Block, por exemplo. É uma banda de meninos que tocam. Então, não é só ensinar coreografias, mas desenvolver individualmente cinco personalidades performáticas", afirma o profissional.

Repertório próprio e show no lançamento da novela

Por enquanto, a banda tem ensaiado músicas do rock brasileiro, como Cazuza, Legião Urbana e Paralamas do Sucesso, mas terá suas próprias canções no decorrer da novela. Segundo o preparador musical Rodrigo Canellas, o fato de cada um ter um mínimo de conhecimento facilitou o aprendizado dos instrumentos.

"É uma questão de prática, repetição. Mas os meninos se entusiasmaram tanto que eles quiseram ir além. O Danilo (Mesquita), que está tocando baixo no grupo, por exemplo, se interessou tanto que fez questão de aprender sobre harmonia funcional, para saber exatamente porque ele estava fazendo um determinado movimento enquanto tocava", afirma, satisfeito com a unidade da banda em tão pouco tempo.

Sérgio Zalis/TV Globo
Nicolas Prattes na aula de preparação corporal para viver Zac em "Rock Story" Imagem: Sérgio Zalis/TV Globo

A preparadora vocal Claudia Elizeu lembra que o importante era que eles funcionassem como grupo. "Todo mundo tem um potencial vocal que pode ser melhorado, independentemente do tempo. Com os meninos, o meu desafio é mostrar que cada um deles pode cantar, ainda que nunca tenham cantado, que tenham "som pequeno". É desenvolver a autoconfiança deles. Porque com treino e exercícios, todo mundo pode cantar. Felizmente estamos conseguindo isso com eles", conta.

O primeiro teste de fogo será na festa de lançamento da novela, no próximo dia 31, no Rio de Janeiro, quando a banda se apresenta ao vivo diante dos colegas e da imprensa. 

"Estava com muito medo no início e quando surgiu a ideia de fazer o show fiquei mais nervoso ainda (risos). É uma responsa muito grande. Estamos ensaiando bastante. Dos trabalhos mais recentes que fiz, esse é o que mais tem me desafiado", admite João Vitor Silva, o Tom.
 
Embora tenha ouvido musical, por ter um grupo de rap chamado Original, o ator nunca havia tocado bateria na vida. E são justamente as conquistas do dia a dia que revelam o quanto o grupo já está unido. "Nicolas era o que menos tocava, e teve uma evolução muito grande. O Enzo não tinha intimidade com a dança. A gente consegue se ajudar e está curtindo todos esses momentos. Foi bonito de ver a evolução de cada um", conta.
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais TV e Famosos

Topo