TV e Famosos

Polícia apreende adolescentes suspeitos de ofensas racistas a Preta Gil

Amauri Nehn/Brazil News
Preta Gil foi alvo de comentários racistas nas redes sociais Imagem: Amauri Nehn/Brazil News

Eduardo Schiavoni

Colaboração para o UOL

01/11/2016 17h03

A Polícia Civil de Sorocaba apreendeu dois adolescentes que teriam postado na internet ofensas racistas contra a cantora Preta Gil em julho deste ano.

Foram apreendidos um menino de 15 anos e uma menina de 14. A mãe da garota também foi detida. Todos foram encaminhados à Delegacia de Investigações Gerais para prestar esclarecimentos sobre o fato, mas foram liberados a seguir. 

Os dois adolescentes apreendidos teriam feitos comentários racistas em uma postagem feita pela cantora em sua página oficial em 26 de julho. Se condenada, a mãe está sujeita a pena que vai de dois a cinco anos de prisão. Os menores estão sujeitos a medidas socioeducativas.
 
Todos os suspeitos foram identificados por meio do endereço de IP do computador. A polícia ainda informou que o mesmo computador era usado pela mãe, a filha e o namorado dela. O delegado informou ainda que dois notebooks e um computador foram apreendidos e devem passar por perícia. Após os equipamentos passarem por análise para descobrir a autoria do crime, o resultado será encaminhado ao Rio de Janeiro.
 
De acordo com o delegado Acácio Aparecido Leite, titular da DIG, o trio faz parte da chamada "Máfia Maliciosa", um grupo que costuma postar mensagens racistas nas redes sociais. 
 
Já o delegado seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel, a investigação comprovou que os adolescentes efetivamente foram autores das postagens. “Conseguimos identificar nas páginas pessoais dos dois adolescentes mensagens ofensivas, de caráter racista”, contou.
 
Outro lado
A investigação foi iniciada após a cantora fazer um boletim de ocorrência registrando o caso de injúria racial em uma delegacia do Rio de Janeiro. A partir da denúncia, a polícia carioca solicitou à polícia paulista o cumprimento dos mandados. Ao todo, pelo menos cem pessoas em todo o Brasil que comentaram as fotos estão sendo investigadas. 
 
Durante depoimento, o delegado relatou que a mãe da garota de 15 anos negou ter atribuído ofensa à cantora e alegou que um hacker teria invadido seu computador. A reportagem não conseguiu falar com representantes da defesa dos adolescentes nem da mulher.
 
Outros casos
Preta Gil não é a única famosa a sofrer com esses ataques nas redes sociais. Recentemente, Taís Araújo, Sheron Menezzes, Maria Julia Coutinho, Cris Vianna e Negra Li também sofreram com mensagens criminosas.
 
Em março, a Polícia Civil prendeu três homens que faziam parte de uma quadrilha que praticava crimes de ódio na internet e foram responsáveis pelos ataques direcionados à Taís Araújo. Eles foram soltos três dias depois após pedido do delegado Alessandro Thiers, para converter a prisão temporária dos réus em prisão preventiva.
 
Pela legislação, a prisão preventiva é cabível quando for imprescindível para as investigações do inquérito policial ou quando o indiciado não tiver residência fixa. Já a prisão temporária tem um prazo de duração de cinco dias, prorrogáveis por mais cinco. 

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais TV e Famosos

Topo