PUBLICIDADE
Topo

"Nunca imaginei que fosse viver isso num campo de futebol", diz Eric Faria

Do UOL, no Rio

03/12/2016 12h55

Depois de Galvão Bueno, foi a vez do repórter Eric Faria se emocionar durante a transmissão ao vivo do velório coletivo da equipe da Chapecoense na Arena Condá, na manhã deste sábado (3). Após ver dona Ilaídes Padilha, a mãe do goleiro Danilo, dar uma volta pelo campo, agradecendo aos torcedores e ganhar um abraço dela, o repórter da Globo narrou abalado esta experiência profissional.

"Nunca imaginei que fosse viver isso num campo de futebol. A gente se prepara para um jogo, para uma defesa, um gol... Tenho certeza que depois de tudo o que estou vendo e vivendo, vou sair uma pessoa melhor daqui", disse Eric, emocionado.

"Não tenha dúvida. Chore, solte as lágrimas como eu já fiz desde terça-feira e hoje aqui", disse Galvão Bueno a Eric.

"Fui obrigado a narrar a morte daquele que talvez tenha sido meu melhor amigo, Ayrton Senna. Foi uma emoção nacional. Já me achava meio imune a essa espécie de sentimento, mas é absolutamente impossível. Todos vocês, cada um, em cada fala, se deixam levar pelas emoções. É bonito ver uma pessoa se emocionar às lágrimas e é bom nem tentar se segurar", falou Galvão a todos os repórteres que participaram da cobertura.

Dona Ilaídes foi muito aplaudida na Arena Condá e no dia anterior, ela deixou o repórter Guido Nunes, do SporTV, sem palavras ao esquecer por uns instantes sua dor e consolá-lo pela perda dos colegas de profissão.

A Globo transmitiu a chegada dos corpos em Chapecó desde às 7h30 e, para acompanhar o cortejo e o velório, não exibiu o telejornal local, o "Globo Esporte" e o "Jornal Hoje" neste sábado.