TV e Famosos

"Netflix da Amazon" estreia no Brasil sem séries de Woody Allen e Cranston

Divulgação
Cena de "Crisis in Six Scenes", série de Woody Allen para a Amazon Imagem: Divulgação

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

14/12/2016 13h39Atualizada em 15/12/2016 09h33

O Amazon Prime Video – ou, se você preferir, o ‘Netflix da Amazon’ – foi finalmente disponibilizado no Brasil e outros 199 países nesta quarta-feira (14). Mas o serviço sofre com um catálogo restrito e a sensação é de que ele é menor que o do seu rival, que já era criticado por clientes pela oferta limitada de títulos recentes.

Nem séries originais com nomes fortes da indústria aparecem no serviço: “Crisis in Six Scenes”, de Woody Allen, e “Sneaky Pete”, produzida por Bryan Cranston, só ficarão disponíveis em 2017. Também não apareceram “Catastrophe”, indicada ao Critics Choice Awards, e a recente “Good Girls Revolt”, que foi cancelada pela Amazon, mas despertou o interesse em outras emissoras norte-americanas.

Entre as ofertas de séries, o serviço da Amazon conta com produções que não estão disponíveis na Netflix, como “Mr. Robot”, já com sua segunda temporada completa, “Fear the Walking Dead”, “Community” e “Seinfeld”. Mas não vai muito além. Nesse quesito, o destaque deve ficar mesmo por conta das originais, como as premiadas “Transparent” e “Mozart in the Jungle”, a elogiada “The Man in the High Castle” e a nova “The Grand Tour”, apresentada pelo trio que conduzia o “Top Gear” na BBC (saiba mais sobre elas abaixo).

Reprodução
Tela inicial da Amazon Prime Video Imagem: Reprodução

O catálogo de filmes é mais farto, mas é vítima do mesmo problema que faz os usuários da Netflix reclamarem: a falta de produções recentes. E há ausências notáveis, como a dos filmes da saga "Star Wars" e do universo Marvel, que estão na concorrente.

Nos Estados Unidos, a oferta de filmes e séries do serviço da Amazon é maior, então há a expectativa de que ela melhore conforme ele se estabeleça no Brasil. Mas a concorrência deve se manter intensa: em outubro, análises dos sites The Streaming Observer e AddonHQ colocaram o Brasil como o local com melhor catálogo da Netflix, ao lado do Canadá. 

Procurada pelo UOL, a empresa reforçou que ampliará a oferta no início de 2017. "Por exemplo, os membros podem esperar novas temporadas de muitas séries aclamadas pela crítica como 'The Man in the High Castle', 'Mozart in the Jungle', 'Hand of God', 'Bosch', 'Red Oaks' e mais, além das primeiras temporadas completas de 'The Grand Tour', 'Crisis in Six Scenes' de Woody Allen, 'Goliath' de David E. Kelley com Billy Bob Thornton, 'American Playboy: The Hugh Hefner Story', 'Sneaky Pete' produzido por Bryan Cranston e Graham Yost, 'Z: The Beginning of Everything', estrelando Christina Ricci, 'Patriot', 'The Tick' e muito mais, entre outros filmes de Hollywood e programas de TV, em breve", declarou a empresa.

Legendas e áudios

Em seu primeiro dia no Brasil, o Amazon Prime Video também não disponibilizou legendas e áudios em português para todos os seus conteúdos. “Community”, por exemplo, estava disponível apenas em inglês. Para facilitar a vida dos usuários, porém, há duas seleções na home do serviço que destacam produções que têm legenda e áudio disponíveis em português.

Sobre o problema, a Amazon afirmou que está trabalhando para solucioná-lo, mas não deu prazo para que isso ocorra: "Estamos focados em melhorar continuamente a experiência do cliente, incluindo adicionar conteúdo e localizar recursos ao longo do tempo". 

HBO?

Além do Prime Video, a Amazon também é dona de um serviço chamado Prime, que oferece outras vantagens aos usuários, incluindo entregas com frete grátis, streaming de músicas e espaço online para armazenamento de fotos. E nos Estados Unidos, especificamente, quem assina esse serviço pode, por uma taxa adicional de US$ 14,99, assinar uma espécie de HBO GO dentro da Amazon – que dá direito a episódios de “Game of Thrones”, por exemplo. A assessoria de imprensa da varejista diz que não descarta uma possível chegada desse serviço ao Brasil, mas a HBO afirma que "por enquanto, essa possibilidade não existe". 

No momento, o HBO Go só está disponível na plataforma própria do canal, que chegou recentemente ao Brasil.

Preço

Por aqui, quem quiser assinar o serviço vai desembolsar US$ 2,99 por mês, ou seja, R$ 9,95. Depois de seis meses, no entanto, o valor sobe para US$ 5,99 (cerca de R$ 20) – praticamente o mesmo cobrado pela Netflix, cujo plano mais básico hoje custa R$ 19,90.

As séries originais que você já pode ver

"Transparent”

Divulgação
Imagem: Divulgação

Um dos grandes hits da Amazon. O título, além de evocar a transparência (ou honestidade), faz um trocadilho, não à toa, com "pai transexual": a série trata de um assunto delicado com sensibilidade. Difícil não se comover com a atuação de Jeffrey Tambor no papel de Mort Pfefferman, um professor aposentado, na casa dos 70 anos, que resolve assumir para os filhos que é uma mulher transgênero. A dificuldade de se abrir com a família é um dos momentos mais tocantes do piloto. Mas leva bem mais que um episódio até ele criar coragem de se mostrar com as roupas, o cabelo e a identidade de Maura.

A série é também a mais premiada do serviço de vídeo: conquistou Emmys para a diretora Jill Soloway e o protagonista Jeffrey Tambor em 2015 e 2016, e o Globo de Ouro de melhor série de comédia e melhor ator em 2015.

“Mozart in the Jungle”

Divulgação/Amazon
Imagem: Divulgação/Amazon

Estrelada pelo mexicano Gael García Bernal, a série surpreendeu no Globo de Ouro deste ano, quando levou os prêmios de melhor série de comédia e melhor ator em série de comédia. Ela se passa nos bastidores de uma orquestra sinfônica de Nova York. O maestro Rodrigo (García Bernal) e a oboísta Hailey (Lola Kirke) são os protagonistas da trama, regada a sexo, drogas e música clássica.  

“The Man in the High Castle”

Divulgação
Imagem: Divulgação

Baseada em “O Homem no Castelo Alto”, livro de Phillip K. Dick que retrata como seria o mundo se os nazistas tivessem vencido a Segunda Guerra Mundial, a série tem uma das maiores audiências da Amazon e foi bem recebida pela crítica. Tanto que ganhará nesta sexta-feira (16), nos EUA, uma segunda temporada, com 10 episódios.

A trama tem também uma assinatura de grife: ela foi criada por Frank Spotnitz, que era produtor executivo de “Arquivo-X”, e tem produção do cineasta Ridley Scott.

“The Grand Tour”

Divulgação
Imagem: Divulgação

Essa é especial para os órfãos do trio clássico de apresentadores do “Top Gear”, formado por Jeremy Clarkson, James May e Richard Hammond. Eles deixaram o programa da BBC após uma confusão envolvendo Clarkson, demitido pela emissora após agredir um produtor.

Os três assinaram então um contrato com a Amazon para produzir um novo programa sobre o universo automobilístico, com 36 episódios previstos em 3 anos. “The Grand Tour” estreou em novembro e teve a maior estreia já registrada no Amazon Video, mas a empresa pagou caro por tê-lo estreado sem estar disponível internacionalmente: o primeiro episódio foi baixado ilegalmente 7,9 milhões de vezes, segundo o jornal britânico “Daily Mail”, e até agora a série foi mais pirateada do que “Game of Thrones”.   

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais TV e Famosos

Topo