PUBLICIDADE
Topo

Famosos

"Fumava 70 pedras de crack por dia", lembra Rafael Ilha, que já pesou 44kg

Rafael Ilha e a mulher, Aline Kezh, participam do "Programa do Porchat" - Reprodução/Record
Rafael Ilha e a mulher, Aline Kezh, participam do "Programa do Porchat" Imagem: Reprodução/Record

Do UOL, no Rio

07/06/2017 10h52

"A única que me arrependo de tudo na minha vida foi o tempo que perdi com as drogas". Foi dessa forma que Rafael Ilha relembrou a época em que era viciado e contou que praticava furtos para comprar crack.

"Muitas coisas que viraram notícias negativas a minha pessoa foi devido ao meu uso de drogas. Cheguei a morar seis meses na rua, praticando furtos para sustentar meu vício. Fumava 70 pedras de crack por dia. Já sou magrinho, tinha 62 quilos. Na época eu estava com 43, 44 quilos", disse ele em entrevista ao "Programa do Porchat" desta terça (6).

Durante 13 anos de sua vida, Rafael foi viciado e chegou a viver nas ruas. "Eu estava sujismundo, morador de rua mesmo. O que eu mais me arrependo é o tempo que eu perdi no vício porque droga já diz tudo por mais que a gente fale. Droga é uma bosta mesmo. O tempo perdido, a gente não tem como recuperar. Você tem como recuperar a parte financeira, a família, e eu perdi 13 anos da minha vida em drogas. É quase a vida do meu filho que tem 14 anos", completa.

O ex-cantor disse que não ficou com sequelas, apesar do longo período usando drogas, e contou que contraiu uma doença por causa do vício.
"O crack é seu corpo com sede, fome, você tem que suprir. só que é uma brisa muito rápido. Você nem terminou de fumar, você já está querendo fumar a outra. Já cheguei a ficar 15 dias acordado, sem comer, só fumando crack. É uma vida muito sofrida. Vejo muita gente fazendo piadinha com esse negócio da cracolândia, não é bem assim. Eles são extremamente dependentes daquilo. É um problema de saúde pública. Eu usei cocaína injetável, então eu peguei hepatite C, de usar água suja. Tenho, mas não me manifestou, está aí".

Ao lado da mulher, Aline Kezh, ele relembrou o período em que o casal foi preso, em 2014, por compra de arma ilegal no Paraguai e comentou a participação no "Power Couple Brasil".

"Dentro de um reality é muito difícil. Você tem a privação da sua liberdade, você fica microfonado 17 horas por dia. A gente não tem acesso telefone, rádio. A gente recebia uma cartinha resumida uma vez por semana com cinco frases. A gente conversava cochichando na maior paranoia", disse ele, que opinou sobre a briga do casal com Silvinho Blau Blau e a mulher, que ocasionou na eliminação deles.

"A gente pode fazer de tudo para conseguir alguma coisa, mas você agir com mau-caratismo, eu não sou assim. Todo mundo me chamou de maluco, mas eu acertei todas as minhas previsões", completou.
 

Famosos