Topo

Televisão

Claudete relembra dia em que "matou" Chico Anysio: "Pedi para ser demitida"

Reprodução/Record
Claudete Troiano lembra dia em que "matou" Chico Anysio em entrevista no "Programa do Porchat" Imagem: Reprodução/Record

Do UOL, em São Paulo

20/06/2017 16h25

Famosa pelo "beijo" em Leila Lopes dois anos após a morte da atriz, Claudete Troiano relembrou outra gafe mórbida que cometeu na TV. Em entrevista ao "Programa do Porchat", exibida na última segunda-feira (19), a apresentadora disse que "matou" Chico Anysio ao vivo quando apresentava o programa "Mulheres", da Gazeta.

"Não me dou bem com morte nem com morto. Estou fazendo o 'Mulheres', chegou o cara da administração e falou: 'Claudete, você não sabe! Estão dando a notícia de que Chico Anysio morreu!'. Eu sou jornalista, sei que tenho que checar a informação, mas sou mulher, xereta, louca para passar a informação adiante. Fui para o ar e falei: 'Existe um boato, notícias dão conta de que (alguém ouviu isso?) acaba de morrer Chico Anysio'", recordou Claudete.

A apresentadora enganou até Eduardo Suplicy, na época (entre 1989 e 1990) presidente da Câmara dos Vereadores de São Paulo. O político, que participava do programa como analista econômico, interrompeu a sessão para prestar homenagem ao humorista que, segundo Claudete, havia morrido.

"A secretaria do Suplicy chegou no ouvido dele: 'Claudete falou que o Chico Anysio morreu'. Ele fez uma homenagem. Acabou a sessão. Os vereadores começaram a subir: 'Chico era um grande homem'. Os trabalhos daquele dia terminaram e era só homenagem ao Chico Anysio, que tinha morrido, e não tinha morrido", disse Claudete, envergonhada.

A repercussão da gafe foi tão grande que Claudete pediu para ser demitida pela Gazeta: "Abro o jornal, primeira página. 'Gazeta mata Chico e Suplicy lamenta'. Falei: 'Tô demitida!'. Na verdade, falei: 'Pode me mandar embora, a culpa é minha, não deveria ter feito isso'. História de morto comigo, melhor não me meter", brincou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!