Topo

Novelas

Sucesso na web, paródia "A Força da Peruca" conquista até Juliana Paes

Reprodução/GShow/A Força do Querer
Bibi (Juliana Paes) e Carine (Carla Diaz) também se engalfinharam em "A Força da Peruca" Imagem: Reprodução/GShow/A Força do Querer

Do UOL, em São Paulo

24/10/2017 04h00

A história de “A Força do Querer” pode até ter acabado na última sexta, mas muitos fãs da novela tiveram que aguardar até esta segunda (22) o desfecho de “A Força da Peruca”. Na paródia, feita pelo canal Las Bibas from Vizcaya, Bibi é uma periguete que está sempre atrás de um bom “after” e também vive às turras com Carine, a “aborto de coruja”.

Assim como a original, a novela exibida exclusivamente na web teve seu pico de audiência na reta final, com mais de 900 mil visualizações apenas da parte 2 da “season finale”. Fã assumido de “A Força”, o DJ, produtor e drag por trás do Las Bibas –sim, uma única pessoa dubla todos os personagens-- acredita que o sucesso da novela também impulsionou o dos vídeos paródia: foram mais de 30 capítulos.

“Tinha muitas cenas divertidas de fazer. Fazia tempo que não via uma novela assim, desde ‘Avenida Brasil’ e ‘Lado a Lado’. Foi uma história mais realista. Tratou de assuntos bem atuais. Gloria Perez pegou assuntos polêmicos do momento, juntou favela com tráfico, fez cenas que pareciam um trailer de ‘Narcos’”, compara ele, que prefere manter em sigilo o nome por trás do personagem.

Orgulhoso, o autor de “A Força da Peruca” conta que os vídeos já caíram no gosto até mesmo de famosos. “Na época de 'Gaybriella', a Juliana Paes me mandou inbox pelo Twitter dizendo que adorava, que era louca pelas dublagens", conta. Assim como a atriz, Las Bibas garante já ter ouvido de pessoas próximas que Renata Sorrah, uma das primeiras atrizes dubladas em “Vale Tudo, Fia?”, paródia de 2005, e a jornalista Maju Coutinho, a “Maju Summers”, se divertem com as piadas.

A repercussão dos escrachados vídeos também nunca irritou a Globo, garante seu autor. Las Bibas conta que chegou a ser contratado pela emissora para fazer uma dublagem de “Império”, novela exibida em 2015. Mas a linguagem esculachada, repleta de pajubá (gírias gays), além da citação de marcas, acabaram inviabilizando o projeto.

“A novela do Aguinaldo [Silva] tinha muito dramalhão e eles queriam a dublagem para publicar na própria página da novela. Mas não vingou. Fui mega podado de tudo”, lembra. 

Divulgação / Renato Filho
Las Bibas from Vizcaya: o autor de "A Força da Peruca" é DJ e produtor e faz sozinho as vozes dos personagens Imagem: Divulgação / Renato Filho
Grupo de humor?

DJ e produtor musical conhecido na cena eletrônica, Las Bibas começou a fazer as paródias, em 2005, quando vivia em Barcelona, na Espanha. “Eu vinha para o Brasil só uma vez por ano e tinha que encontrar uma forma de manter meu público conectado. Como não dava pra fazer um projeto Xeque-mate como Anitta, lançar um clipe por mês, comecei a fazer os vídeos com dublagens e podcasts”, conta.

Uma das primeiras a ir ao ar, a dublagem de “Vale Tudo” (1988) que mostrava Heleninha, a personagem alcoólatra de Renata Sorrah, “toda cagada”, acumulou mais de 1 milhão de acessos. Já os podcasts, em que o DJ falava sobre música, fazia imitações e contava piadas, ficaram no ar até 2015 e renderam a ele duas indicações ao Podcast Awards, premiação americana, na categoria LGBT.

Mas mais que conectá-lo de novo com o Brasil, o sucesso dos vídeos quase ofuscaram a carreira de DJ de Las Bibas. É que os convites para tocar atraíam muitos curiosos que esperavam ver quem eram as tais bibas que dublavam as personagens e não um set de música.

“Durante muito tempo, muita gente não sabia o que eu era. Não sabia se era um grupo de humor, um quarteto. Quando me anunciavam, as pessoas não sabiam se eu ia dublar um vídeo ou fazer um show como a Silvetty Montilla. Tinha que pedir para os produtores deixarem claro no material de divulgação das festas que era um DJ set”, lembra, rindo.

Improviso

Cada vídeo de 2 minutos leva até 3 horas para ficar pronto. As histórias, é claro, não têm qualquer compromisso com a trama original e também, segundo o DJ, nenhum roteiro. Todas as falas são recriadas no improviso. “Quando vejo uma cena engraçada, já imagino um dialogo ‘aviadado’, já que a maior parte do meu publico é LGBT mesmo. Como eu faço todas as vozes, escolho diálogos com pouca gente. Mas tem que ter algo de surreal, como quando uma atriz cai ou fica bêbada, por exemplo.”

Todos os capítulos de “A Força da Peruca” ainda podem ser vistos no canal Las Bibas from Vizcaya nas redes sociais. Mas quem já imagina uma paródia de “O Outro Lado do Paraíso”, nova trama das nove, talvez tenha que esperar pela história seguinte. “Tou planejando nem assistir, pra me desvincular do vício. Quero dar uma pausa de novela”, diz.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!