Topo

Televisão

Record diz que denúncia sobre suposto assédio não passou de "engano"

Divulgação
Record se pronuncia sobre denúncia de assédio Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

27/11/2017 20h11Atualizada em 27/11/2017 23h34

Após denúncia sobre um suposto assédio sexual a uma de suas colaboradoras, a TV Record se manifestou na noite desta segunda-feira (27) afirmando que o caso não passou de um simples "engano".

Segundo a emissora explicou através de comunicado, o caso foi enviado inicialmente à direção de jornalismo que, após apuração interna, chegou-se à conclusão que tratava-se apenas de um equívoco. O funcionário se explicou --ele teria dito que enviou a imagem por engano-- e pediu desculpas, que foram aceitas.

"Na semana passada, a Record recebeu de uma de suas colaboradoras uma denúncia de assédio. O caso foi levado para a direção de jornalismo, que prontamente tomou as primeiras medidas para que a queixa fosse devidamente apurada", disse a emissora.

"Após a apuração e em conversa com ambas as partes, ficou esclarecido, de comum acordo, que o caso se tratou de um engano. O funcionário se explicou sobre o ocorrido e pediu desculpas pelo equívoco, que foram aceitas", finalizou a nota.

Quase três horas depois, a Record complementou o comunicado informando que "o colaborador foi suspenso de suas atividades por três dias."

A Record não cita o nome dos profissionais, mas o caso refere-se a uma funcionária do portal R7, que teria recebido uma foto do genital de um editor do “SP Record”, acompanhada da frase “e aí, gostou?”, por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp. O caso foi revelado pelo colunista do UOL Flávio Ricco, neste fim de semana.


Segundo Ricco, a reclamação foi levada para os superiores, e até mesmo o marido da funcionária foi pessoalmente à emissora cobrar explicações.

 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!