Topo

Televisão

Gagliasso chora ao falar de racismo contra a filha: "É agressivo, machuca"

Reprodução/TV Globo
No "Fantástico", Bruno Gagliasso chora ao falar de ataques racistas sofridos pela filha, Titi Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

04/12/2017 09h34

Bruno Gagliasso se emocionou ao falar dos recentes ataques racistas sofridos pela filha, Titi, na semana passada. O ator e a mulher, Giovanna Ewbank, participaram de uma reportagem especial no "Fantástico" deste domingo (2) na qual falaram sobre o racismo no Brasil ao lado de outras pessoas que sentiram na pele o preconceito.

“Eu não tinha ideia. É obvio que a gente sempre soube, mas viver isso de perto e dentro de casa é muito forte. É agressivo, machuca e a gente só sente isso quando está dentro da nossa casa”, disse o ator com a voz embargada. "Acho que a gente estava despreparado para o que vinha e a gente se sente meio correndo contra o tempo para conseguir as ferramentas necessárias para criar a nossa filha negra em um pais racista”, complementou Giovanna.

Bruno, então, lembrou que foi a terceira vez que Titi sofreu ataques racistas pela internet. “A primeira vez foi uma menor de idade, a segunda vez foi um cara que está acostumado a fazer isso com várias pessoas e agora uma mulher que se filmou falando essas coisas da minha filha. Eu nunca de fato vou sentir na pele o que é o racismo, mas minha filha é negra né?”, afirmou o ator, emocionado.

“São coisas que eu nunca enxerguei e estou vendo só agora. Como eu com 31 anos começo a ver questões como essas só agora?. Por que eu não ajudei? Por que eu não fiz alguma coisa antes? Por que eu deixei passar algumas coisas? Isso é muito forte na minha vida hoje”, se questionou a apresentadora.

Titi, de 4 anos, sofreu ataques racistas promovidos por Day McCarthy, que publicou um vídeo em que afirma que as mesmas pessoas que a criticam pela sua aparência (por não ter olhos azuis e nariz fino) vão ao Instagram de Gagliasso e Ewbank e elogiam a filha do casal, que é negra. Bruno Gagliasso prestou queixa ma Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática  (DRCI), na Cidade da Polícia, zona norte do Rio. 

"Ela é uma criminosa, precisa pagar pelo que ela fez. Estou aqui porque ela disse que está em outro país. Conversando com a delegada, ela disse que é muito importante fazendo isso porque é crime em qualquer lugar do mundo e ela vai responder por isso", disse o ator na porta da delegacia.

Day McCarthy, cujo nome verdadeiro é Dayane Alcantara Couto de Andrade, mora em Las Vegas, nos Estados Unidos. Ela já foi presa por prostituição no Condado de Henrico, no Estado da Virgínia. 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!