Topo

Famosos

Igualdade, respeito e união: famosas falam sobre lutas no Dia da Mulher

Reprodução/Instagram
Zezé Motta, Gisele Bündchen e Alice Wegmann Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL

08/03/2018 11h00

Neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher, famosas de diversas áreas do Brasil aproveitaram para falar sobre a luta feminina, o que sofrem e as áreas em que ainda não estão em pé de igualdade. Nos depoimentos, elas reforçaram que nos dias de hoje não cabe mais a ideia de "sexo frágil".

"No dia de hoje (e em todos os outros): leia livros de mulheres. Ouça músicas de mulheres. Se inspire, se engrandeça, se fortaleça. Evite falar mal de outra mulher. Procure uma coisa nela que te interessa e elogie essa coisa sinceramente. Todo mundo tem uma batalha, é preciso coragem pra ser quem se é de verdade. Incentive as que estão perto a serem quem elas quiserem. Faça elas gostarem do que veem no espelho. E comece a gostar mais do que você vê também. FAÇA. O QUE. VOCÊ. QUISER. E saiba: você não tá sozinha.
Qualquer coisa, grita", aconselhou Alice Wegmann.

"Vou dizer o que nós realmente queremos: salários iguais aos dos homens, não sofrer assédio na rua e no trabalho, ser respeitada na hora do parto, não sofrer feminicídio, ser dona dos nossos corpos e das nossas vidas, direitos humanos essenciais. O que eu quero mesmo é respeito", bradou Carolina Kasting.

"Não preciso que pague minha conta, quero ganhar igual pelo meu trabalho. Não preciso que abra a porta do carro, só não quero ouvir: 'Tinha que ser mulher no trânsito'.  Não preciso que puxe a cadeira no restaurante, puxe assunto sobre meus planos e ideias", escreveu Rafa Brites em um longo desabafo.

"Mesmo sabendo que todo dia é nosso dia... PARABÉNS para todas as mulheres do mundo!!! Lembrem -se que nossa voz é nossa maior arma; Não se calem", pediu Tati Quebra-Barraco.

"Uma mulher é assassinada a cada duas horas no Brasil", lembrou Leticia Colin.

"Nem bela, nem recatada, nem do lar, bonita mesmo é qualquer mulher que se levanta e luta! Parabéns para todas nós que lutamos", elogiou Zezé Motta.

"Mais amor, mais compaixão, mais respeito, mais igualdade, mais apoio. Que possamos dar ao mundo o que gostaríamos de ver mais nele. Feliz dia das mulheres para todas mulheres ao redor do mundo", pediu Gisele Bündchen.

"Que esse dia e todos os outros sejam dias em a gente se ame. Porque não existe outro caminho para que sejamos felizes", refletiu Paula Braun.

Não preciso que pague minha conta, quero ganhar igual pelo meu trabalho Não preciso que abra a porta do carro, só não quero ouvir: Tinha que ser mulher ... no trânsito. Não preciso que puxe a cadeira no restaurante, puxe assunto sobre meus planos e ideias Não preciso que pergunte no final: foi bom pra você? E sim me olhe durante e saberá se esta bom Não preciso reproduzir, posso apenas produzir Não preciso que me chame de super mulher por dar conta de tudo, simplesmente ajude Não preciso que venere meu corpo, respeite-o Quando eu fizer algo bom, não diga que sou caprichosa, sou competente Quando eu pegar a melhor vaga não é porque sou esforçada. É porque sou inteligente Quando uma criança aprontar, não pergunte se a mãe dela não deu educação. Ela tem um pai também. Quando eu cruzar com você olhe no fundo dos meus olhos, sentirá algo mais profundo do que olhando pra minha bunda Quando ver duas mulheres se beijando, não é pornografia. É amor e você não faz parte disso Quando eu questiono e argumento sobre tudo, não estou sendo chata. Só não estou sendo rasa QUANDO EU USAR UMA ROUPA CURTA QUE TE DEIXE DESCONFORTÁVEL. Isso diz mais sobre VOCÊ do que sobre mim. VÁ SE TRATAR! Não quero respeito porque você tem uma filha, sobrinha ou mãe e se coloca no lugar delas. Exijo respeito porque sou IGUAL a você Não precisamos de homens para nos proteger de outros homens. Apenas não nos ataquem, não nos boicotem, não nos menosprezem, nem nos oprimam . Estamos juntos nessa caminhada. Nenhum passo a frente, nenhum passo atrás.

Uma publicação compartilhada por Rafa Brites (@rafabrites) em

-uma mulher é assassinada a cada duas horas no Brasil.

Uma publicação compartilhada por Leticia Colin (@leticia_colin_) em