Topo

Famosos

Nada explícito, diz Claudia Raia sobre viver ex-atriz de pornochanchada

Manuela Scarpa/Brazil News
A atriz Claudia Raia em evento em São Paulo Imagem: Manuela Scarpa/Brazil News

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

15/03/2018 14h48

Claudia Raia já está se preparando para voltar ao trabalho. Ela estará no elenco da novela “Verão 90 Graus”, segunda na fila do horário das sete na Globo, na qual interpretará uma ex-atriz de pornochanchada. Apesar de não saber muitos detalhes do papel, ela conta que a abordagem será cômica, e que não haverá nenhuma cena muito explícita.

“Primeiro que é uma comédia, e ela é uma ex-atriz de filme de pornochanchada. É uma novela das 19h, é diferente. Não tem esse peso. Hoje ela é mãe de uma menina super sem talento e quer que ela seja uma estrela. É uma louca, uma personagem cheio de nuances, de coisas boas”, disse a atriz ao UOL durante um show da cantora Iza, nesta quarta-feira (14), em São Paulo.

Claudia garante que não teria problema algum se precisasse atuar em cenas mais sensuais. “Nunca tive. A gente, ator, não pode ter. Nem quem não tenha uma forma física, ator tem que fazer tudo. Se falar: 'raspa a cabeça e sai pelada', a gente tem que fazer. Eu faria, por um personagem maravilhoso sim”.

O último trabalho de Claudia na TV foi uma participação na série “A Fórmula” (2017). A última novela na qual trabalhou foi a “A Lei do Amor” (2016), como a prefeita Salete.

Corajosas

Em um momento em que as mulheres estão cada vez mais erguendo a voz e denunciando casos de assédio, preconceito e injustiça, Claudia as vê como cada vez mais corajosas, mas confessa não ser fã de termo "empoderadas".

“Eu prefiro até a palavra corajosas do que empoderada, eu já enjoei um pouco dessa palavra. Eu acho que coragem é uma virtude da mulher. A mulher sente uma dor que o homem não sente, menstrua todo mês, ela tem filho, amamenta, isso é de uma coragem que para o homem é diferente, ele tem coragem para outras coisas. Sem dúvida nenhuma o ser feminino é corajoso. Acho que a mulher está cada vez mais liberada para mostrar sua coragem”, declarou a atriz.

Ela também relembrou os seus momentos de coragem. “Aos 13 anos eu falei para minha mãe: 'eu vou para Nova York. Se você não me deixar ir, eu fujo'. Ela resolveu se aliar a mim. Aos 18 anos olhei e falei: não tem ninguém que produza musical nesse país. Vendi meu carro, vendi um flat e fui produzir. Eu tive a oportunidade e agarrei. Acho que é isso que a mulher tem que fazer, sem medo. Nessa viagem [para Nova York] fui assediada. Joguei uma coruja de cristal na cabeça do moço, quase matei. Saí correndo, não ia me submeter àquilo”.

Claudia também frisa que educo seus filhos contra o preconceito. “Preconceito é uma coisa que não entra naquela casa. Se entrar, eu pego pela camisa e falo: volta”, afirma.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!