Topo

Televisão

"A música não encaretou, é falta de criatividade", diz Sidney Magal

Marcelo Scandaroli/Divulgação
Sidney Magal fala sobre criatividade no cenário musical Imagem: Marcelo Scandaroli/Divulgação

Colaboração para o UOL

23/03/2018 00h49

Sidney Magal disse qual sua visão sobre o panorama da música atual ao participar do "Programa do Porchat" de quinta-feira (21) ao lado do filho, Rodrigo West. Quando questionado pelo humorista Paulo Vieira se a música "encaretou", já que ele surgiu chocando a sociedade na mesma época de Ney Matogrosso sendo performático, o cantor deu sua opinião sobre o tema.

"Não encaretou, é falta de criatividade. A música popular brasileira se tornou uma cópia da cópia da cópia. E, assim, vai perdendo a sua qualidade de diversificar. No programa do Chacrinha, cada artista que ia era diferente. Hoje em dia você vê 20 duplas sertanejas, 20 cantores de axé, 20 pagodeiros, e todos se parecem muito", compara.

Magal também assume ter "enganado" seu público. "Eu mentia a minha idade durante a minha carreira inteira porque a gravadora exigia que eu dissesse ter três anos a menos". E evitou, enquanto servia ao Exército, lutar a favor da Ditadura Militar. "Lembro de ser chamado algumas vezes para combater os estudantes. Eu dizia que não ia combater ninguém, que seria uma vergonha para o Exército e sempre escapava".

O filho conta que seu pai gerava curiosidade entre os amigos. "Desde a infância perguntam como ele é em casa, achando que era uma entidade", diverte-se. "Ele não gosta de falar que durante uma época sofreu um certo bullying por ter um pai que rebola muito", entrega Magal.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!