Topo

Televisão

"Desde que entrei na Globo tenho fã-clube gay", diz Gilberto Barros

Foto: João Miguel Júnior/TV Globo
Gilberto Barros posa nos bastidores de 'Pega Pega'. Imagem: Foto: João Miguel Júnior/TV Globo

Colaboração para o UOL

05/04/2018 23h55

Gilberto Barros falou sobre a vida e a carreira no programa "Sensacional", da RedeTV!, nesta quinta-feira (5). O apresentador contou sua experiência com extraterrestres, sua relação com o público gay e as propostas que recebia de quem queria participar de seus programas.

"Entrei na TV como apresentador na Globo [nos anos 80], apresentando o 'Jornal das 7' ('SP2'), e fazia o plantão do 'Jornal Nacional'. Desde que entrei na Globo tenho fã-clube gay. Eu os respeito, eu os amo. Quem me conhece sabe do amor que tenho pelos homossexuais", afirmou.

Ele acredita ter ficado bem perto de ETs na infância. "Já tive uma experiência nada agradável. Eu tinha 9 anos, vinha um temporal, sempre tive medo. Quando atravessei a rua, uma vizinha gritou 'para, Gilbertinho'. Olhamos para o alto, vimos uma coisa imensa em forma de prato, uma grande nave espacial atravessou no horizonte do caminho. Fiquei paralisado. Devia ter uns 100 metros, era muito grande. Depois a gente perguntou na cidade, umas três ou quatro pessoas viram", garante.

Outra experiência nada agradável foi quando tomou Viagra. "Quando lançaram o 'azulzinho', um médico me deu para experimentar e fui parar no hospital. Parecia que ia arrancar a tampa da cabeça, que ia explodir".

Sem apresentar programas na TV desde 2015 --ano passado, fez uma aparição na novela "Pega Pega"--, Barros revela que já negou propostas de receber benefícios em troca de alguns minutos no ar nas atrações que comandou. "Já me ofereceram apartamento, carro, cocaína, garotas de programa, tudo. Tem artistas que estão famosíssimos hoje, até com carreira internacional, que não recebi no programa", falou, sem revelar nomes.