Topo

Televisão

"O Brasil está se odiando e odiando a própria cultura", diz Fernanda Torres

Divulgação
Fernanda Torres fala sobre "intolerância" no Brasil Imagem: Divulgação

Colaboração para o UOL

09/04/2018 23h26

Fernanda Torres falou sobre seu processo criativo e o momento de intolerância no país no "Espelho", nesta segunda-feira (9). A atriz disse a Lázaro Ramos no Canal Brasil como enxerga o que vem acontecendo nos últimos anos com as pessoas.

"O Brasil está passando uma hora com raiva de si mesmo, está se odiando e odiando a própria cultura. A gente está vivendo a terra de ninguém. Atualmente todos os temas são custosos de debater. Comecei a escrever pra um jornal há uns 10 anos com uma alegria... Sete anos depois eu estava escrevendo com medo, revendo 20 vezes pra ver quem eu estava ofendendo. As pessoas estão com o nervo muito a flor da pele", afirma.

Ela acredita que a internet potencializou esse comportamento. "Houve uma virada no terceiro milênio, todo mundo passou a ter voz. Isso foi bom, mas vieram vozes de ódio, o que foi ruim. As vozes se tornaram acirradas, combativas, parece que não há o caminho do meio. Todo o humanismo do qual o teatro faz parte parece que ficou no século 20", observa.

"Viramos uma sociedade estatística. A indústria fonográfica ruiu, A TV ruiu, o cinema... A questão da celebridade ficou na frente da reflexão artística. Vai demorar, mas acho que a ética moral e a estética vão ser chamadas para o palco", continua.

Mãe e filha

A atriz diz ainda como é sua relação com a mãe, Fernanda Montenegro. "Converso com minha mãe todo dia. A gente tem muito assunto, virou colega. Hoje em dia estou dando os conselhos da minha mãe para ela. Outro dia ela tava ansiosa e eu disse no telefone 'não sofra por antecipação', que era algo que ela sempre me dizia".