Topo

Televisão

"Bebia quatro dias seguidos. Hoje, bebo um", diz Gusttavo Lima

			Gusttavo Lima falou sobre a carreira e a paternidade em entrevista no The Noite - Foto: Divulgação/ SBT
Gusttavo Lima falou sobre a carreira e a paternidade em entrevista no The Noite - Foto: Divulgação/ SBT Imagem: Gusttavo Lima falou sobre a carreira e a paternidade em entrevista no The Noite - Foto: Divulgação/ SBT

Colaboração para o UOL

12/04/2018 02h01

Gusttavo Lima falou sobre as mudanças que a idade, o sucesso e a paternidade trouxeram à sua vida no "The Noite" de quarta-feira (11). O sertanejo contou que o fígado já não é o mesmo para aguentar bebida alcoólica.

"Com 18 anos eu bebia três, quatro dias seguidos. Hoje bebo um e fico três de cama", diz o cantor, hoje com 28 anos. Danilo Gentili coloca cerveja e petiscos à disposição. "Garrei uma paixão de tomar cerveja. Acordei hoje com a cabeça do tamanho de uma bateria, tive que tomar chá de boldo pra vir aqui", confessa.

Ser pai também mudou seus hábitos. "Agora a gente bebe em casa". Com Andressa Suita, Lima teve Gabriel, que completa um ano dia 28 de junho, e já estão "grávidos" de mais um. "Vai nascer em agosto, é legal, é maravilhoso. É  tão bom que eu já fiz o segundo", brinca.

Ele diz como ficou sua rotina. "Depois que você tem filho, sua vida muda completamente. Você para de pensar em você e tudo já é pro menino, pro futuro do menino, vou trabalhar, fazer mais cinco shows para o futuro dele, deixar algo para ele. As noites que eu tenho deixado de dormir são muitas. A gente tem pouco tempo de folga e o pouco tempo quero estar com ele", derrete-se.

Trocar fralda, no entanto, não é seu forte. "Tenho estômago um pouco fraco pra isso, minha sogra me ajuda demais, é muito parceira", confessa, dizendo como quer criar Gabriel. "Tudo que aprendi com meu pai quero passar pra ele. Não é que eu vou privar meu filho. Ele vai ter as coisas que eu nunca tive", garante, lembrando da infância difícil.

"A gente almoçava e não sabia o que ia jantar. Meu pai ficava dois meses trabalhando em obra, minha mãe era lavadeira. E, hoje, que orgulho disso". O cantor não esquece que encarou um duro caminho até o sucesso. "Foram dez anos cantando em barzinho. Eu tocava pra sobreviver" recorda.