Topo

Televisão

Fora da Globo, Rafael Cortez aposta no Youtube: "Não há mais emprego"

Antonio Chahestian/Record TV
Imagem: Antonio Chahestian/Record TV

Colaboração para o UOL

13/04/2018 07h37

Rafael Cortez falou sobre os dez anos que o "CQC" completaria em 2018, no "Programa do Porchat" de quinta-feira (12). O ator e humorista diz também como era ser confundido com os repórteres do "Pânico", quando os dois programas passaram a ser transmitidos pela Band.

"Sempre lamento que o 'CQC' não exista mais. Não por mim, mas acho que o país precisava de um programa como o 'CQC' de novo, ainda mais com essa conjuntura política. Hoje seria um porrada cobrir política, pois está muito polarizado. Quando a gente terminou estava começando uma guerra declarada entre direita e esquerda, em cima da imprensa também. Vejo as situações e digo: 'ainda bem que não estou lá, mas alguém tinha que estar lá'".

Ele afirma que já teve prejuízos por quem não entendia qual era o estilo do programa que fazia e o do "Pânico". "Quem não conhecia os projetos achava que era a mesma coisa. Já perdi trabalhos por coisas que não fiz, que foi alguém do 'Pânico'".

Fora da Globo desde dezembro, quando não renovou seu contrato, Cortez conta o que o fez apostar no Youtube. "Não há mais emprego, não há muitas oportunidades. Fiz um canal pra ter um espaço perpétuo. Ele não está à mercê das intempéries do mercado, é a vantagem sobre a TV hoje".