Topo

Televisão

Por que a Globo reclassificou todas as suas novelas das 23h como séries

João Miguel Júnior/Alex Carvalho/Divulgação/Reprodução/Globo
Novelas das 23h como "O Astro" (2011), "Gabriela" (2012) e "Verdades Secretas" (2015) foram reclassificadas como séries Imagem: João Miguel Júnior/Alex Carvalho/Divulgação/Reprodução/Globo

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

16/04/2018 04h00

Em 2011, quando a Globo decidiu produzir um remake de "O Astro", novela clássica de Janete Clair, inaugurou também um novo horário de sua dramaturgia: o das 23h. Desde então, a emissora produziu uma série de novas versões de tramas famosas, como "Gabriela" (2012) e "O Rebu" (2014).

Em 2015, no entanto, a emissora decidiu dar um novo gás ao esquema e começou a produzir histórias originais para o horário. “Verdades Secretas", escrita por Walcyr Carrasco, foi a primeira.

Até 2017, essas produções ainda eram anunciadas como novelas. Entretanto, com "Os Dias Eram Assim" e agora com "Onde Nascem os Fortes", a Globo estreou um novo formato, chamado de “supersérie”.

Mas, o que poucos perceberam, é que o canal também decidiu reclassificar todas as suas produções anteriores no horário. No aplicativo Globoplay -- plataforma digital da Globo -- todas as tramas das 23h previamente listadas como "novelas" foram movidas para a categoria "séries". Ou seja, obras como "Gabriela" e "Saramandaia" (2013) passaram a ser consideradas séries.

Inclusive, trabalhos como “O Astro” e “Verdades Secretas”, que ganharam o prêmio Emmy Internacional de Melhor Novela, agora também são listados como séries.

Questionada pelo UOL sobre o motivo da mudança, a assessoria de comunicação da Globo explicou que a emissora percebeu, ao longo do tempo, que havia imprimido uma linguagem de seriado ao horário das 23h.

Sergio Zalis/TV Globo
"Os Dias Eram Assim" foi a primeira trama das 23h da Globo a ser classificada como "supersérie" Imagem: Sergio Zalis/TV Globo
"Com o tempo, e todos os nossos investimentos em séries, passamos a olhar para o horário de 23h de outra forma. Por tudo o que horário permitia e pelo espaço diferenciado, levamos para esses produtos uma linguagem mais de série. Foi aí que percebemos que havíamos criado um produto híbrido: ele tinha valores de novela (a história aberta e longa), mas também várias características das séries (o arco dramático, o desenvolvimento das personagens e poucos núcleos)", declarou a emissora.

De acordo com o comunicado, a nomenclatura "supersérie" surgiu dessa percepção: "Esse produto já não era uma novela tradicional nem podia, pela própria longevidade da sua temporada, ser chamada de série. Então resolvemos chamar as produções das 23h de supersérie, uma nomenclatura que traduz muito bem o formato e traduz a lógica do produto que acabamos desenvolvendo".

O UOL também perguntou à Globo se reclassificar novelas ganhadoras do Emmy de Melhor Novela como séries não faria com que o prêmio perdesse de certa forma sua significância. A emissora não entrou no mérito, mas afirmou que continua inscrevendo as superséries na categoria Melhor Novela da premiação.

“No caso do Emmy Internacional, continuamos a inscrever as superséries na categoria de Telenovela, pois pelo edital do prêmio é a que mais se adequa às características desta produção, já que não existe a categoria Supersérie”, disse a assessoria de comunicação da emissora.

Reprodução/Globoplay
Na categoria "séries" do Globoplay, constam obras como "Verdades Secretas" e "Gabriela", previamente listadas como novelas Imagem: Reprodução/Globoplay

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!