PUBLICIDADE
Topo

"Tinha um certo preconceito", diz Luciele Di Camargo sobre namorar Denílson

Luciele Di Carmargo e Denílson participaram do "Vai Fernandinha" - Reprodução/Multishow
Luciele Di Carmargo e Denílson participaram do "Vai Fernandinha" Imagem: Reprodução/Multishow

Colaboração para o UOL

18/04/2018 07h26

Denílson e Luciele Di Camargo comentaram a vida de casal no "Vai Fernandinha" de terça-feira (17). A irmã da dupla Zezé Di Camargo e Luciano conta quais as primeiras impressões que teve do ex-jogador.

"Não tinha ideia de quem era o Denílson, mas só o fato de ser jogador de futebol...  Eu tinha um certo preconceito mesmo. O único rótulo que eu sabia dele era que era um jogador de futebol mulherengo", entrega a atriz, dizendo que ele se desdobrou para marcar um encontro.

"O cara ainda pede pediu para a irmã dele se passar por secretária e pegar meus dados, me convidando para um churrasco. Aí que o caldo entornou, aí eu não dou mesmo! Vai ter que matar primeiro uns 10 bois para me conquistar", diverte-se.

Denilson conta que eles chegaram a manter o romance em segredo. " A gente ficou uns meses namorando e ninguém sabia. Eu queria que ela assumisse, por que na minha cabeça era: 'eu tô pegando a irmã do Zezé Di Camargo e Luciano'. Começou a ficar confortável para mim, ninguém sabia".

Depois foi a vez de revelar para a família dela. "Os únicos da família que me conheciam eram o Zezé e o Luciano, mas eu tinha mais afinidade com o Zezé por ele ser são-paulino. Quando ele soube, passou todo meu currículo para ela, super me elogiou". "Falei que estávamos namorando há quatro meses, ele falou: 'fica esperta, porque o histórico dele...", relembra ela.

O comentarista do "Jogo Aberto", da Band, afirma que o apoio da amada foi importante. "Ela não tinha o perfil das mulheres que eu me relacionava. Aconteceu, não tem explicação. Eu a conheci no momento extremamente difícil de terminar minha carreira profissional. Ela me dava muita confiança, me deu uma força extremamente importante".

Juras

Casados desde 2010 e pais de Maria Eduarda, de 7 anos, e Davi, de 3, eles dizem como a vida mudou desde que decidiram investir na relação. "Ela me melhorou como pessoa, levo algumas coisas mais a sério. Ela me ajudou no português, eu falava muita gíria. Leitura também, comecei a ler com ela, eu não lia nunca. Meu crescimento pessoal e profissional fiz com ela".

Luciele também se derrete. "Sou outra pessoa. Ele transformou meu humor, me fez uma pessoa mais leve, alegre. Eu vou dormir sorrindo com ele, acordo feliz".