Topo

Televisão


Sucesso nas redes, "Tiozão do Zap" agora quer brigar por audiência

Gilvan Marques

Do UOL, em São Paulo

06/06/2018 04h00

EdieZap ou Tiozão do Zap, o repórter Edie Polo é a mais nova sensação das redes sociais. Ele começou a apresentar o "Denúncia Urgente", programa policial da RedeTV!, no último dia 7 de maio.

O "Denúncia Urgente" tenta reinventar o jornalismo policial com linguagem atual, novas tecnologias e um apresentador "malucão", usando como referências Ratinho e Alborghetti, que fizeram sucesso nos anos 1990.

Depois de bombar nas redes sociais e conquistar o Twitter, Edie Polo admite agora que o próximo passo é roubar a audiência de programas tradicionais, como o "Cidade Alerta", da Record, e o "Brasil Urgente", da Band.

"O nosso desafio é conquistar cada vez mais gente. Temos que ir para cima. Esse é o nosso objetivo", disse Polo ao UOL, por telefone, nesta segunda-feira (4).

Em um mês, o "Denúncia Urgente" cresceu de 1,2 para 1,9 ponto no Ibope da Grande São Paulo. Cada ponto na região equivale a cerca de 71 mil domicílios.

"A gente consegue manter uma linguagem interessante, diferente, divertida. Você pode fazer um programa sério e de humor ao mesmo tempo. A informação não deixa de ser verdade. Só é escrachada para chamar a atenção", justifica o apresentador, que inicialmente não gostou do apelido Tiozão. "Eu fiquei bravo porque achei que fosse um termo pejorativo. Não é o tiozão de velho, é o de amigão."

Polo é um repórter veterano, com passagens por "Aqui Agora", no SBT, no "Cidade Alerta" e foi substituto de Datena no "Brasil Urgente". O paulistano só lamenta que nenhum desses programas tenha dado a oportunidade que ele diz ter agora.

Divulgação/RedeTV!
Rodrigo Vanni, ou Digão, é o responsável pelos GCs engraçadinhos no "Denúncia Urgente" Imagem: Divulgação/RedeTV!
Atração à parte

A atração é produzida basicamente pelo telespectador, que envia vídeos pelo WhatsApp, checados pela equipe. Segundo a direção, são recebidas em média 3.000 mensagens por dia. 

A notícia recebe um tratamento bem-humorado -- eles preferem utilizar o termo "tarjas despojadas", que são adicionadas às imagens. São frases de efeito: "Cresceu o olho no celular. Como vou marcar o boy nos memes?" ou "Sem chance de defesa. Um [bandido] morreu; o outro tá correndo até agora".

O responsável pelas gracinhas é Rodrigo Vanni, o Digão, que tem oito anos de casa e, antes do programa não costumava usar redes sociais, como o Twitter. "Depois que vi a repercussão, fiquei muito assustado. Não pensei que fosse possível atingir a tanta gente assim", diz.

Sobre possíveis excessos, Felipe Virgili, chefe de redação transmídia da emissora e que assina a direção do "Denúncia Urgente", contemporiza: "É impossível acertar todas. Trata-se de um programa ao vivo".