Topo

Televisão

Fontenelle desabafa sobre processo de herança: "Fui ignorada como uma p***"

Reprodução/ Rede TV
Antonia Fontenelle no "Superpop" Imagem: Reprodução/ Rede TV

Do UOL, em São Paulo

07/06/2018 00h21

Antônia Fontenelle falou sobre o polêmico processo pela herança de Marcos Paulo, que se arrasta há quase seis anos, no "Superpop" desta quarta-feira (6). O assunto voltou com tudo esta semana depois que, na última segunda-feira (4), a ministra Maria Isabel Galotti, do STJ (Superior Tribunal de Justiça) declarou o documento anexado ao processo como inválido, considerando que a atriz não tem direito aos bens deixados pelo diretor.

"É importante deixar claro que é o voto dela, isso não me exclui. Já fui reconhecida outras vezes como esposa dele. A carta escrita a mão por ele é passível de discussão, é o entendimento dela, mas e os sete anos que ficamos juntos não conta? Se o resto do colegiado votar que não tenho direito, tudo bem, mas minha dignidade não vão tirar, eu não vou deixar". disse.

Ela acredita que as mulheres deveriam se ajudar. "É um esculacho de mulheres para com mulheres. Uma juíza da primeira Vara de Família da Barra da Tijuca disse 'não a reconheço como herdeira e não tem direito a nada'. O que é isso, uma mulher falar isso da outra? Me machuca ver mulheres se dirigindo assim a outras mulheres, não só contra mim como a elas [Flávia Alessandra e as filhas do diretor]".
 
A atriz não pretende se calar. "Durante esses 6 anos eu fui em todos os lugares, falei o que pude. Recebo ao menos dez emails por dia de pessoas que passam o mesmo que eu, e o judiciário não pode deixar que mulheres passem por isso, é vergonhoso. Não estou brigando por dinheiro. Se fui reconhecida como esposa, tenho direito, o que foi construído em sete anos não tem ser no planeta Terra que me tire O título de esposa desse homem ninguém vai me tirar".

Antônia se irrita com a maneira como a história vem sendo conduzida nos tribunais. "A pedância, a petulância é tão grande que se referem a uma vida como se o Marcos Paulo nunca tivesse me conhecido. Ele deixou cada um com seu cada um, não deixou ninguém desprotegido, mas a coisa aparece como se eu quisesse alguma coisa delas. Não", desabafa.

Ela afirma que tudo poderia ter sido resolvido de outra forma. "Se tivessem me chamado pra uma conversa e dito: 'a gente não concorda, o que é seu aqui?'. Fingir que eu não existo, me pintar como a louca, a barraqueira não é honesto, não é justo, é feio. Se eu não existo na história, vou fazer acordo com quem? Fui ignorada como uma putinha, entendeu?", dispara.

Entenda o caso

Antônia diz ter direito à herança de Marcos Paulo por conta de um documento assinado por ele pouco antes de morrer, segundo o qual ela teria direito a 60% de seus bens. Esse documento foi aceito pelo TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), que a reconheceu como herdeira. Já Flávia Alessandra afirma que o testamento deixado registrado pelo diretor e reconhecido pela Justiça beneficia somente sua filha Giulia e as outras duas filhas do ex-diretor: Vanessa, de 47 anos, que nasceu da união com uma ex-modelo italiana, e Mariana, de 37 anos, fruto de seu relacionamento com Renata Sorrah.

Newsletters

Mauricio Stycer traz análises exclusivas sobre TV e Famosos.

Quero receber