Topo

Televisão

"Nada justifica o linchamento", diz Boris Casoy sobre assédio na Rússia

Marcio Seiro Momesu/UOL
Boris Casoy fala sobre assédio na Rússia Imagem: Marcio Seiro Momesu/UOL

Do UOL, em São Paulo

20/06/2018 21h58

Boris Casoy repercutiu o vídeo em que um grupo de brasileiros assedia uma mulher e faz piadas sobre o seu órgão genital durante as comemorações da Copa do Mundo, na Rússia. 

Na avaliação do âncora do "RedeTV! News", exibido nesta quarta-feira (20), o que os brasileiros fizeram é "reprovável", uma "cafajestagem de péssimo gosto", mas nada "comparável a um crime", como se eles tivessem cometido o pior crime do mundo. (Assista ao vídeo abaixo, a partir do trecho 1min05seg)

"O que esses turistas fizeram é reprovável, mas tudo isso não passa de uma não inédita molecagem, uma cafajestagem de péssimo gosto. Nada comparável a um crime. Portanto, nada justifica o linchamento desses moleques e que está circulando pelo Brasil inteiro como tivessem cometido o pior crime do mundo. São apenas moleques e cafajestes", avaliou Casoy.

No vídeo que circulou nas redes sociais e foi veiculado pela imprensa de vários países, homens vestindo a camisa da Seleção Brasileira aparecem ao lado de uma mulher não identificada. Parecendo não compreender o sentido sexista das frases que o grupo grita, em coro e em português, a moça apenas tenta repetir as palavras sugeridas pelos brasileiros.

Com a repercussão, ao menos dois torcedores que aparecem no vídeo --o advogado pernambucano e ex-secretário de Turismo de Ipojuca Diego Valença Jatoba e o tenente da PM Eduardo Nunes.