Topo

Famosos

Ex-assistente de Faustão fatura com Copa e torce por sobrinha em novela

Andrei Naufel/Divulgação
A ex-assistente de palco de Faustão, Adriana Colin Imagem: Andrei Naufel/Divulgação

Felipe Pinheiro

Do UOL, em São Paulo

26/06/2018 04h00

Adriana Colin, que por quase oito anos foi a apresentadora dos merchandisings no “Domingão do Faustão”, está animada com a Copa da Rússia. E seus motivos para comemorar vão além da torcida pela seleção. A ex-assistente de palco, que estreou ao lado de Fausto Silva em 2002, ano em que o Brasil conquistou o pentacampeonato, tem aproveitado novas oportunidades durante o mundial como mestre de cerimônia.

“É sempre um período de muitas festas, de oportunidades profissionais. Estou num 'spiritual awakening', que é uma renovação espiritual muito grande. Nesse mês de Copa, fiz muitos eventos beneficentes, que vão ao encontro do que busco hoje para a minha vida. Acho que podemos mudar a vida do nosso próximo”, diz ela, mostrando familiaridade com as expressões em inglês do mundo corporativo.

Embora não revele quanto fatura na função, Adriana diz que somente neste mês apresentou cinco eventos com o tema da Copa, trabalho que desempenhava ainda na época do “Domingão”. A apresentadora diz ter aproveitado o aprendizado no programa de auditório ao vivo, além da proximidade com grandes marcas anunciantes, para investir no segmento.

“Me considero uma vendedora. Como mestre de cerimônia, apresento um produto ou uma ideia. É algo que eu faço com muito amor. As marcas me chamam para que eu fale por elas. Sinto que é meu habitat”, afirma ela, que explica o aumento de trabalhos durante o mundial: “Há uma maior visibilidade para as marcas, o que gera maior capacidade de trabalho”.

Mesmo convicta da nova carreira que escolheu, Adriana admite sentir falta da televisão --além do “Domingão”, foi a primeira apresentadora do “Fantasia”, no SBT, e comandou programas esportivos na Manchete e na TV Gazeta.

“Não tem uma noite que eu durma sem que alguém fale: ‘Que saudade de te ver na TV!’ Eu não sei o porquê. Tenho desejo de voltar, mas não vi algo que tivesse a ver comigo. Eu escolho muito o que eu faço porque quero que esteja voltado para o meu trabalho. Nunca me envolvi em algo negativo. As pessoas olham e veem que eu posso falar da marca delas de uma maneira bonita e honesta. Sinto que tenho uma imagem boa, fiz por onde”, diz, orgulhosa. 

Arquivo pessoal
Adriana Colin diz ter se surpreendido com o barulho em torno de sua saída do "Domingão do Faustão" Imagem: Arquivo pessoal
Saída polêmica do “Domingão”

A saída de Adriana Colin do “Domingão” fez barulho à época. Segundo o colunista Ricardo Feltrin, a demissão da apresentadora teria como motivo a idade dela, que estava na faixa dos 40 anos. Ao UOL, a ex-assistente de palco diz ter ficado até feliz pela repercussão, mas não acredita que a idade tenha provocado sua dispensa da Globo.

“A Hebe foi meu grande modelo, e quantos anos ela tinha? A gente nem olhava a idade dela. Qual a credibilidade se tem para falar de cartão de crédito com 18 anos? Foi uma renovação do próprio programa, o que é absolutamente normal. Sempre fui tratada com muito respeito e já sabia [da saída do Domingão], havíamos conversado”.

A apresentadora diz que chegou a conversar com o próprio Faustão sobre um eventual retorno, mas acredita que isso não aconteceu por ter encerrado um ciclo: “Fiz o que tinha que ser feito. Se aquilo você já aprendeu, tem que passar para a próxima”.

Sobrinha em "Segundo Sol"

Arquivo pessoal
Adriana Colin é a maior tiete da sobrinha Letícia Colin, que faz sucesso na pele de Rosa em "Segundo Sol" Imagem: Arquivo pessoal
Enquanto a oportunidade certa para voltar à televisão não aparece, Adriana acompanha orgulhosa o sucesso da sobrinha Leticia  Colin  na pele da garota de programa Rosa em “Segundo Sol”. No ano passado, a atriz foi uma das indicadas no “Melhores do Ano” do “Domingão” pelo papel de imperatriz Leopoldina em “Novo Mundo”.

“Nossa relação é a mais linda do mundo, sempre a apoiei. No começo da carreira dela fizemos muitos trabalhos juntas. Eu apresentava e ela desfilava, fazíamos comercial juntas. Estou muito feliz por ela. É uma menina que trabalha desde muito nova. Ganhava os brinquedos e não brincava porque já trabalhava e estudava. Esse sucesso todo dela não é nada que eu já não soubesse”, diz Adriana, que faz questão de dizer que a sobrinha trilhou seu próprio caminho na TV. “Ela tem uma luz e um carisma que são dela”.

Filha do irmão mais velho de Adriana, Letícia, ela afirma, não é muito de consultá-la, já que sabe bem onde quer chegar. “Claro que conversamos, mas ela tem um feeling muito bom. É uma menina muito consciente do que banca, chama a responsabilidade para si”.

Adriana não esconde que seria uma alegria pisar novamente no “Domingão” para, quem sabe, entregar o prêmio de melhor atriz para a sobrinha. Ela brinca que, no ano passado, viu o “lado bom” de não estar mais no palco com Faustão: “Eu iria entregar o prêmio para uma outra pessoa e queria entregar para ela”. Na ocasião, Paolla Oliveira foi quem levou a melhor na disputa de melhor atriz com as indicadas Letícia Colin e Juliana Paes.