Topo

Orgulho e Paixão

"Tenho essa vontade todos os dias", diz Thiago Lacerda sobre deixar o país

Globo/ João Miguel Junior
Thiago Lacerda é o apaixonado Darcy em "Orgulho e Paixão" Imagem: Globo/ João Miguel Junior

Carolina Farias

do UOL, no Rio

10/07/2018 04h00

Se na carreira o momento é de estabilidade, na vida pessoal incertezas rondam Thiago Lacerda. Com 40 anos de idade e 20 de carreira, o Darcy de "Orgulho e Paixão" soma mais um protagonista para sua extensa lista. 

Já o motivo de suas preocupações são os três filhos: Gael, 10, Cora, 8, e a caçula, Pilar, 4, frutos de seu casamento de 17 anos com Vanessa Lóes. Ele teme pelo futuro das crianças no Brasil e não esconde o desejo de deixar o país.

"Tenho essa vontade todos os dias. É um conflito pessoal, como se fosse jogar a toalha, e não sou assim. Quando se tem filhos, as coisas mudam de lugar. Aqui está complicado. Ficar é uma decisão corajosa e difícil, especialmente no Rio. Sou carioca, amo, mas anseio por um lugar mais justo, limpo, honesto e educado", disse o ator ao UOL, durante um intervalo das gravações da trama nos Estúdios Globo.

Para Thiago, o país vive um dilema moral: "É difícil olhar para esse abismo ético. Os brasileiros perderam a humanidade. Como ver um menino de 7 anos no semáforo e não pensar que ele deveria estar na escola? Não vou ver meu povo com igualdade de direitos enquanto for vivo".

Apesar do pessimismo, Thiago pondera sobre sair do Brasil. "Acabo tangenciando um risco de segregá-los [seus filhos] da cultura, da cidade, dos amigos. Dá para viver no Brasil e no Rio, mas com dignidade e orgulho está difícil. Vamos caminhando. Essa luta precisa de coragem, paciência e educação. O processo de mudança é lento."

João Miguel Júnior/Globo
Imagem: João Miguel Júnior/Globo
Por outro lado, o trabalho na trama de Marcos Bernstein tem trazido satisfação a Thiago, que faz par com Nathalia  Dill, a Elisabeta.

"O casal é um barato, um sucesso. As pessoas me param na rua, adoram os personagens, torcem por eles. Também fazem alusão à obra [os livros da inglesa Jane Austen são ponto de partida da novela]. É muito legal que as pessoas conheçam e leiam mais."

Em "Orgulho e Paixão", Darcy se apaixona por Elisabeta e passa a questionar seus preconceitos e valores por conta de seu amor por ela, que é uma mulher à frente de sua época. Em sua vida, Thiago diz que já viveu algo semelhante.

"Mudamos com o tempo, vamos vivendo mais coisas e nos transformando. Relações também fazem parte desse processo de autorreflexão, autoconhecimento e acho bonito quando pode se dizer isso ao parceiro. Se propor, se permitir essa reflexão sobre si mesmo, achar mecanismos em você que te levam a mudar para continuar junto com alguém é talvez a coisa mais legal de um relacionamento", afirma.

Capitão Rodrigo

Thiago é um especialista em personagens históricos e épicos. No teatro, ele já foi Hamlet, Macbeth e Jesus Cristo. Em séries na TV, foi o inesquecível Giuseppe Garibaldi, de “A Casa das Sete Mulheres”, de 2003, e Tiradentes, em “Liberdade, Liberdade”, de 2016. Em 2004, interpretou São Paulo, em "Irmãos de Fé", e, em 2013, fez o personagem que mais o desafiou: o capitão Rodrigo Cambará, do filme "O Tempo e o Vento", que depois também foi minissérie na Globo.

"Fiquei quase quatro anos para começar a filmar desde o convite do Jayme  Monjardim [diretor do longa], que me ligou logo que comprou os direitos. O medo do desafio, do precipício, da corda bamba, durou muito tempo", revelou Thiago.

Globo Filmes
Imagem: Globo Filmes
Tamanho temor de Thiago se deve ao fato de Tarcísio Meira ter interpretado o personagem na série "O Tempo e o Vento" na Globo em 1985, inspirada na obra homônima de Érico Veríssimo. 

"Além de a obra do Érico ser muito séria, o capitão Rodrigo é a história da nossa gente. E tinha a dificuldade de ter o Tarcísio definitivo na minissérie. Vou contar um segredo: na noite anterior a começar a filmar eu não conseguia dormir. Fiquei apavorado. Falei com a Vanessa: ‘Preciso de ajuda, manda alguém para cá’. Precisava chorar, desabafar. Estava no Sul para filmar e não tinha ideia de como fazer", conta. Ele teve uma ajuda preciosa para "libertar" o seu capitão.

"O processo do personagem foi em cena. Conversei com a Fernanda Montenegro [que interpreta Bibiana] e começamos. À medida que fomos fazendo as coisas foram se encaixando e o personagem estava lá. Quis muito também fazer uma homenagem ao Tarcísio sem ser uma tentativa de copiar o trabalho dele", afirmou Thiago, que tem a foto do personagem como avatar de seu Instagram.