PUBLICIDADE
Topo

Televisão

Bola diz que "Pânico" tinha gás para continuar e lembra mágoa de Sabrina

Ex-integrantes do "Pânico" participam do "Programa do Porchat" - Divulgação/Record TV
Ex-integrantes do "Pânico" participam do "Programa do Porchat" Imagem: Divulgação/Record TV

Colaboração para o UOL

13/07/2018 07h39

Bola, ex-integrante do "Pânico", falou no "Programa do Porchat" de quinta-feira (12) sobre os 25 anos que passou com o grupo. O humorista acredita que a atração, que deixou a grade da Band no final do ano passado, tinha fôlego para permanecer no ar.

"Acho que ainda tinha gás. Se desse uma reorganizada, a gente tinha mais um gasinho. [O programa] vinha se reorganizando para pior", afirma. Carlinhos Silva, que interpretava o Mendigo, explica um dos motivos para a decadência: "A gente estava sendo moldado, não podia fazer piada de política nem com o ex-presidente [Lula] no Mensalão". 

Bola comentou a saída de Sabrina Sato para ir para a Record. "Nos sentimos traídos, magoados. Quando ela saiu do 'BBB' e foi dar entrevista na rádio não falava, de tão tímida, caipira. Olha onde ela chegou, é sensacional".

Ele conta que a atração "teve um ou outro processo, mas o juiz ria, era bobagem" e reconhece que o programa na TV pegava pesado. "Perdemos a mão várias vezes, mas nunca me arrependi. Também não tenho orgulho. Se a gente fizesse o 'Pânico' na rádio como no começo, ia todo mundo preso, a gente detonava. Iria tudo pra cadeia".

Televisão