PUBLICIDADE
Topo

Televisão

Jô Soares "perdeu o encanto" de fazer seu programa, diz Derico, do Sexteto

Derico no "Programa do Porchat" - Edu Moraes/Record TV
Derico no "Programa do Porchat" Imagem: Edu Moraes/Record TV

Jonathan Pereira

Colaboração para o UOL

24/07/2018 07h43

Derico contou como vê o fim do "Programa do Jô" e falou dos arrependimentos da carreira no "Programa do Porchat" de segunda-feira (23). O saxofonista, que ficou conhecido acompanhando Jô Soares em seus talk shows no SBT e na Globo durante 28 anos, disse o que pode ter levado o apresentador a parar de comandar a atração.

"Ele estava a fim de um projeto diferente. Se a Globo ou outra emissora tivesse proposto algo, ele topava. Tinha a questão do espaço, briga pela audiência... Na minha percepção, para ele perdeu o encanto. Aí passa a ser uma coisa profissional exclusivamente", opina. 

Apesar da comoção causada com a saída de Jô do ar, o músico acredita que era mesmo o momento de o programa terminar. "Eu me preparei para isso, como as pessoas deveriam ter se preparado. Uma hora acaba. As coisas acontecem no momento oportuno, ele parou na hora que tinha que parar".

Derico lamenta não ter acumulado dinheiro nesse período. "A gente não tinha essa cabeça, era muito moleque. Se tem uma coisa que eu me arrependo na vida foi não ter conseguido de alguma forma fazer com que o Quinteto trabalhasse... Era para sermos milionários".

E por que a fama não foi aproveitada para fazer fortuna? "Por vaidade. Eu achava que eu tinha que fazer as coisas sozinho, uma bobagem, uma burrice. Como fomos montados, não tinha índio, só cacique. Éramos todos caciques e, quando o Jô estava, éramos todos índios".

Televisão