Topo

Jesus

Dudu Azevedo revela encontro com Edir Macedo antes de viver Jesus em novela

Blad Meneghel/Record TV
Dudu Azevedo é "Jesus" na nova trama da Record Imagem: Blad Meneghel/Record TV

Carolina Farias

do UOL, no Rio

26/07/2018 04h00

Escolhido para interpretar o protagonista de "Jesus", que estreou na Record na terça-feira (24), Dudu Azevedo se cercou de ajuda profissional para não decepcionar. Entre aqueles que o orientaram, está ninguém menos que Edir Macedo, bispo fundador da Igreja Universal e dono do Grupo Record.

"Fui bombardeado com muito material de estudo e tive, por exemplo, um encontro com o bispo Macedo, que conversou comigo sobre a ideia geral, da Bíblia, do que ele imaginava e esperava do trabalho. Foi interessante", contou o ator de 39 anos.

Na emissora desde 2016, quando fez "Os Dez Mandamentos", ele também fez um intensivão em casa antes do início das gravações. 

"Trabalho com um coach e tive um preparador de atores [Christian Duuvoort] que ficou um mês na minha casa. Ele ficava de manhã até de noite comigo para me preparar. É um trabalho de pesquisa que me deu segurança e solidez, me preencheu por dentro. O principal é a transformação de dentro, a disponibilidade em benefício do ofício. Isso foi o mais precioso", explicou Dudu.

O ator, que começou na carreira aos 16 anos na TV Cultura em "Confissões de Adolescente" e passou boa parte de sua trajetória na Globo, afirmou que nunca passou pela sua cabeça interpretar Jesus por causa de sua aparência.

"Fiquei surpreso quando me chamaram para o teste. Não me imaginava Jesus por uma questão física. Ele é tradicionalmente diferente de mim. Não tenho corpo franzino, pele clara, tenho olhos e cabelos claros como um europeu. Quebramos esse paradigma. Somos muito mais fiéis à história de fato do que ao Jesus idealizado que a Igreja Católica sempre vendeu, essa imagem tradicional", contou ao UOL durante a festa de lançamento da trama, no Rio. 

Segundo Dudu, a ideia é mostrar Jesus mais humano, longe do mito. "A narrativa é de um Jesus mais humanizado, prático, que encara a realidade de frente e não aquele Jesus quase lúdico, que tem o tempo compaixão, de piedade, mítico, como se tivesse o tempo inteiro cuidando, acolhendo", disse. 

Após a festa, o primeiro capítulo da novela foi exibido em duas salas de cinema. Entre os atores do elenco, Dudu foi o único acompanhado de praticamente toda família: pais, sogros, os enteados Pedro, de 13 anos, e Manoela, 11, e a mulher Fernanda Mader, grávida de seu primeiro filho, Joaquim, que deve nascer em duas semanas, segundo ele.

"Minha família me alimenta. Viver essa experiência toda nesse momento e agora vem o filhote como cereja do bolo. É o melhor momento da minha vida", comemora.

Já no primeiro capítulo, o telespectador se deparou com o "spoiler" da trama: a crucificação de Jesus. A cena foi gravada no período de 20 dias em que a produção esteve em Uarzazate, no Marrocos, cidade considerada porta de entrada do deserto do Saara. Foram dias de trabalho intenso, como contou o protagonista.

"A crucificação em si é o momento mais dramático, o clímax da história. Foram diárias longas. A maquiagem em alguns dias levou cinco horas. Além de toda a carga dramática, tem que ter concentração, entrega e conexão com a história. Temos que tecnicamente saber dosar porque vem o esgotamento físico, psicológico para, quando a exaustão chegar, não se deixar render."

"A sensação de ter feito um bom trabalho alimenta também. É como endorfina, é prazerosa. Quando desligo, não estou mais na exaustão e aí vem a sensação do prazer, o orgulho", completou.