Topo

O Tempo Não Para

Fantasiosa, nova novela é "comédia romântica contemporânea", diz autor

Divulgação/TV Globo
Em "O Tempo não Para", uma família com 13 membros é congelada em 1886, durante um cruzeiro na Patagônia Imagem: Divulgação/TV Globo

Ana Cora Lima

Do UOL, no Rio

31/07/2018 04h00

O mundo avança cada vez mais com as inovações tecnológicas, a globalização e as conquistas científicas, mas será que nas questões sociais acontece essa evolução? Será que existem mudanças também nos valores, nos comportamentos e nas relações humanas nos últimos 132 anos? Esse vai ser um dos principais motes da substituta de "Deus Salve o Rei" no horário das 19h na Globo.

Escrita por Mario Teixeira, "O Tempo não Para" vai contar, a partir desta terça (31), a saga de uma família abastada do século XIX que durante uma viagem de navio pela América do Sul sofre um naufrágio na Patagônia e acaba sendo congelada. Em 2018, os Sabino Machado - 13 pessoas mais um cachorro - despertam em uma São Paulo agitada e turbulenta.

Divulgação/TV Globo
Nicolas Prattes (Samuca) e Juliana Paiva (Marocas) formam o principal casal romântico da nova novela das 19h, da Globo Imagem: Divulgação/TV Globo
Apesar de a premissa da trama ser fantasiosa, Mário Teixeira garante que a comédia romântica – gênero onipresente no horário das 19h – é contemporânea.

“Trata-se de uma novela absolutamente divertida, inusitada e contemporânea. Vamos falar sobre o choque das relações e emoções e a forma como essas pessoas, esses ‘congelados’, vão se adaptar a esse novo mundo. ‘O Tempo não Para’ é uma novela cheia de reviravoltas que tem tudo a ver com os dias atuais”, explica o autor.

A nova novela marca a volta de Edson Celulari como um dos protagonistas, interpretando o patriarca dos Sabino Machado: um empresário bem sucedido do Brasil Imperial, descendente de um bandeirante e que preza pelo bem-estar daqueles que estão ao seu redor. “É um homem do campo, que adora desatolar vaca do brejo”, define o ator. “Ele vai se encantando com o progresso, ao mesmo tempo em que se depara com um ser humano muitas vezes pior, que não se confia na palavra”.

Na trama, o personagem também vai se envolver amorosamente com Carmem, vivida por Christiane Torloni. "Dom Sabino é um papel imenso, de grande responsabilidade na história. É uma confiança do Mário [Teixeira, autor], do Léo [Nogueira, diretor], do próprio Silvio de Abreu [que coordena a dramaturgia da emissora] e da casa. Estou muito feliz", diz Celulari, que retorna ao núcleo central de uma novela após ter tratado um cãncer em 2016 e participado de “A Força do Querer” como Dantas no ano passado.

Romance na ficção 

A mocinha da trama será Juliana Paiva, que interpreta Marocas, a filha de Dom Sabino. “Ela vem do século XIX, mas não é uma donzela, o que é muito legal. Os Sabino Machado são donos de metade de São Paulo, além de várias terras pelo Brasil. É uma menina que sempre teve tudo do bom e do melhor, mas teve uma criação muito especial. O pai sempre quis um filho varão, não teve e criou essa menina como menino. É uma personagem cheia de vertentes, humanitária demais”, diz Juliana que vai ter como par romântico Nicolas Prattes, o Samuca.

Com boatos de que o romance ultrapassou o set de gravação, o ator admite que, antes mesmo da novela estrear, o casal tem química. "Nós já esperávamos por esses boatos. Os dois solteiros, fazendo casal, em um momento de carreira bacana… Até pensamos que isso ajudaria na divulgação da novela. Não tem do que reclamar. Eu digo que o casal tem química e isso eu não posso negar.” ,

O ator, de 21 anos, também afirma não estar sentindo a pressão por fazer o mocinho da trama. “Todo mundo gosta de sair da zona de conforto, de se renovar. Estou aprendendo a cada dia com o Samuca."

Globo /Sergio Zalis
Em 2018, os Sabino Machado despertam em uma São Paulo agitada e turbulenta Imagem: Globo /Sergio Zalis