Topo

Jesus

Atrizes falam sobre as diferentes personalidades de Maria na novela "Jesus"

Colagem/Divulgação
Juliana Xavier e Cláudia Mauro fazem Maria nas duas fases de "Jesus" Imagem: Colagem/Divulgação

Carolina Farias

Do UOL, no Rio

05/08/2018 04h00

Na última sexta-feira (3) a novela bíblica "Jesus", da Record, iniciou a segunda fase com personagens mais velhos e outros novos na trama. O público se despediu da jovem Maria interpretada por Juliana Xavier e começou a ver a mãe do protagonista na pele de Cláudia Mauro. A personagem trouxe experiências diferentes para cada uma das intérpretes.

Na primeira fase da novela os telespectadores viram que a mãe de Jesus não foi a "Maria do presépio", como explicou Juliana Xavier, atriz de 23 anos, desde os 11 na Record. Logo nas primeiras sequências, Maria se defendeu do assédio dando um tapa no soldado romano. 

"Ela é corajosa e firme", afirmou Juliana, que mesmo já tendo certa experiência, temeu pela recepção que os telespectadores poderiam ter "dessa" Maria. 

"Bateu insegurança, lógico. A questão de não ser a Maria do presépio, ser a Maria que beija na boca, que tem outros filhos depois de Jesus, muita gente vai falar", disse a atriz ao UOL.

Juliana quis imprimir outro tom na personagem, fugir do estereótipo da mãe de Jesus e para isso pesquisou além do que lhe era oferecido como fonte. 

"Tivemos direcionamento, referências, mas lógico que busquei por fora. Li muito, assisti a séries e filmes para entender a atmosfera de como a mulher se posicionava na época. Meu receio era virar aquela Maria da imagem. Nada contra [a imagem] porque a vi a vida toda", afirmou a atriz.

Das cenas que gravou, Juliana classificou o nascimento de Jesus como a mais importante. "Tive ajuda de uma doula que me dizia onde doía, o que acontecia no parto, os intervalos. Não tenho filhos e tive essa ajuda, além da direção. É o presépio, estava dentro de um cenário que vi a vida inteira, com a chegada dos Reis Magos. Fiquei  muito emocionada", disse.

Se Juliana bebeu da força da juventude de Maria para dar personalidade à personagem, Claudia usou de uma dor particular para gravar as cenas da tortura e crucificação de Jesus - que já foram exibidas no primeiro capítulo, mas devem voltar na trama. 

"Perdi recentemente meu pai e minha mãe sofreu um AVC, ficou com sequelas, virou outra pessoa. Não é como perder um filho, mas foi a maior perda da minha vida. É um momento de transformação e dor. E Maria veio nesse momento especial, talvez por isso eu tenha passado no teste", explicou Cláudia, que também usa a maturidade dos seus 49 anos na personagem.

"É uma responsabilidade fazer um personagem que representa muita coisa e onde todo mundo cria expectativa. Mas estou preparada para fazer isso. Como atriz tenho características de ser cuidadosa com os amigos, sou mãe de gêmeos [Carolina e Pedro, de 7 anos], tenho generosidade", afirmou.

Em comum, as atrizes afirmaram que tanto a trama como Maria levaram ambas a pensar em espiritualidade. "Tenho fé em Deus e a história de Jesus está presente na minha vida desde criança", contou Juliana.

"Minha mãe é devota da Maria e sempre tive simpatia por ela. Sempre fui curiosa com religiões. Acredito em energia e conexões. No Marrocos tivemos experiências lindas. Me emocionei, senti a presença do meu pai em vários momentos. Tudo é sobre fé", disse Claudia, que assim como parte do elenco gravou os primeiros capítulos em Marrocos.