PUBLICIDADE
Topo

Famosos

"Eu queria ser bissexual", afirma Fernanda Young

Fernanda Young - Reprodução/YouTube
Fernanda Young Imagem: Reprodução/YouTube

Rodrigo Soares

Colaboração para o UOL

13/08/2018 12h49

Em um papo descontraído com Leda Nagle no canal no YouTube dela, a escritora e apresentadora Fernanda Young falou abertamente sobre sua sexualidade. Casada com o escritor Alexandre Machado, Fernanda revelou que já ficou com mulheres na adolescência, mas que hoje não deseja ter novas experiências.

"Na década de 80 eu, pela minha natureza, não digo nem que fui estimulada, mas tinha necessidade de provocar, era natural que se houvesse esse caminho. Saímos (ela e as amigas) e resolvíamos nos beijar nos lugares, não por querer, mas para provocar. Eu era adolescente, tinha a descoberta da sexualidade. Mas não sou uma pessoa que na minha intimidade eu deseje a mulher, ou pense na mulher, não penso em uma transa com mulher. Minhas fantasias estão sempre envoltas no universo masculino. Eu queria ser bissexual. É lindo. Todo mundo gostaria. Seria tão razoável. Mas não sou", disse ela.

No papo, Fernanda ainda falou sobre o assédio sofrido pelas mulheres e ponderou que, em sua opinião, outros pontos devem ser levados em consideração. "Você colocar tudo como assédio em um sentido que é mais sutil, se eu sou uma profissional do audiovisual, que sou, eu sei o quanto posso estimular de assédio, o quanto pude. Assediar o outro a me assediar. Tem uma trama, uma dramaturgia, uma sensualidade, uma sexualidade. Quer dizer que a mulher nunca assediou? Ou nunca estimulou assédio? Nunca foi personagem principal na trama do assédio? Não estamos falando da moça que trabalha em uma casa de família falemos isso para nossas filhas que vão para o colégio. Mas estamos falando entre nós: não também somos responsáveis? As mulheres que me assediaram não existem? A gente está bestializando o tema, tornando hipócrita e mecanicista", opinou.

Mãe de Cecília Madona, Estela May, Catarina Lakshmi e John Gopala, Fernanda explicou suas escolhas pouco usuais de nomes para os filhos. "Madonna é pela cantora, ficou orgânico. Queria excluir a ideia deles terem que escolher o sobrenome. Estela May é um nome composto. Catarina Larkshmi é por conta da procriação da riqueza na deusa hindu, Catarina é pela Santa Catarina, John é por John Lennon, e Gopala é o nome de Krishna criança", contou ela, que se assumiu uma mãe firme. "Sou rigorosa com higiene e honestidade".

Famosos