PUBLICIDADE
Topo

Famosos

"Muita gente acha que tudo veio de mão beijada", desabafa Lívian Aragão

Livian Aragão - Reprodução/Instagram
Livian Aragão Imagem: Reprodução/Instagram

Rodrigo Soares

Colaboração para o UOL

27/08/2018 10h59

Lívian Aragão, filha do ator Renato Aragão, o eterno Didi Mocó, fez um vídeo especial no seu canal no YouTube para falar sobre sua carreira de atriz. Em tom de desabafo, ela afirmou que batalhou muito por cada oportunidade que teve até hoje.

"Muita gente acha que tudo veio de mão beijada, o que não é. Luto, estou lutando até hoje e para sempre para conseguir algum trabalho", disse.

Ela lembrou que tudo começou ainda na infância, quando acompanhava o pai nas gravações de seus filmes.

"Eu era muito baby e ficava no colo da minha mãe junto com meu pai nas gravações. Fui crescendo, ficando mais curiosa, e naquela época eu já me interessava pelo que estava acontecendo. Essa curiosidade minha foi indo até que minha mãe me explicou o que era até que cheguei para o meu pai e falei que queria fazer o que ele fazia. Ele disse que não era tão fácil, que eu tinha que estudar", lembrou. " Meus pais me deram apoio, fiz aula de teatro. Meu pai foi vendo que talvez eu conseguisse fazer um papel. Ele tava com medo. Acho que a maioria dos pais que veem os filhos escolhendo a mesma profissão eles ficam: 'será que você não poderia escolher outra coisa?'. Eles sabem o que passou, o que tiveram que passar para chegar lá", continuou.

Lívian contou que as primeiras oportunidades surgiram após muito pedir para o pai. "Eu já estava fazendo aulas de teatro, eu ficava pedindo, aí ele [Renato Aragão] foi ver com os diretores dos filmes. Os diretores sabiam que eu estava fazendo aula, aí me deram um papel pequeno, depois outro, outro. E nunca deixei de estudar", falou.

Ao longo do tempo, ela seguiu estudando interpretação, inclusive fora do país. Quando tinha 13 anos, foi fazer um curso de atuação nos Estados Unidos. Para isso, venceu a resistência dos pais.

"Foi muito difícil, era totalmente outra língua, não vi nenhum estrangeiro. Foi muito impactante", lembrou ela, que se emocionou ao contar que ganhou um prêmio ao fim do período. "No avião (na volta), eu estava refletindo muito sério. Depois desse curso que me deu o estalo de que não posso deixar ninguém entrar na minha cabeça contra os meus princípios. Sempre falavam que eu só estava pelo meu pai. Se eu tivesse, ou não tivesse, no momento que a pessoa fala gravando, no trabalho, sou eu, não meu pai. Se eu não tiver condições de aguentar a barra, a culpa vai ser minha, não do meu pai. Se eu estou aqui, eu mereço. Senti muito orgulho de mim. Eu insisti", desabafou ela, que não escondeu as lágrimas.

Famosos