Topo

Novelas

Protagonista de próxima novela das 21h, gato recebe recompensa por cenas

Divulgação
Marina Ruy Barbosa e o gato León, de "O Sétimo Guardião" Imagem: Divulgação

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

02/09/2018 04h00

É uma fórmula certeira: animais de estimação caem no gosto do telespectador. Quem não se lembra da porquinha de Lili, companheira de Mafalda (Camila Queiroz) em "Êta Mundo Bom"?

Duas novelas, "O Tempo Não Para", das 19h, e "O Sétimo Guardião", a próxima das 21h, têm como estrelas, respectivamente um cãozinho, o Pirata, e um gato preto, chamado León.

León é interpretado por quatro felinos da raça Bombaim (ou Bombay), importados dos Estados Unidos. Eles têm os pelos curtos, olhos grandes e arredondados, foram adestrados no Brasil e ganham algumas recompensas quando gravam boas cenas.

A produção da novela tentou usar gatos vira-latas, mas não foi possível por conta dos efeitos especiais que serão usados em algumas cenas. Era necessário que os animais tivessem os pelos bem curtos para não atrapalhar no chrome key, técnica de efeito visual que permite colocar uma imagem sobre um fundo neutro.

Já em "O Tempo Não Para", Pirata encantou muita gente ao aparecer "congelado" em cena e até virou motivo de polêmica. As produtoras Bichos Artistas e Animais em Cena são responsáveis pelo adestramento de Pirata, da raça fox terrier. São dois animais que se revezam no papel.

O cachorro grava em média uma vez por semana e passa cerca de seis horas no set. "Grande parte desse tempo, ele está em repouso ou treinando a cena", explica Anderson Gonsales, adestrador dos cães da novela das sete e dos gatos de "O Sétimo Guardião".

Arquivo pessoal
Cachorro Pirata, de "O Tempo não Para" Imagem: Arquivo pessoal

Para que Pirata ficasse paralisado em uma cápsula, Anderson garante que não foi usado nenhum tipo de anestésico ou calmante no animal. No início do mês, a atriz mirim Natthalia Gonçalves disse no "Vídeo Show" que o animal era sedado, o que foi negado logo em seguida pela emissora.

"Somos contra o uso de qualquer tipo de substância ou procedimento que seja contrário ao bem-estar animal. Isso também faz parte do sucesso das gravações. Recebo o roteiro das cenas e treino as cenas específicas com muito reforço positivo. Nenhum animal faz nada por imposição, é muita parceria envolvida", explica.

João Miguel Júnior/Globo
Kiki (Nathalia Rodrigues), Nico (Raphaela Alvitos) e o cachorro Pirata Imagem: João Miguel Júnior/Globo

O segredo para o bom comportamento são os agrados que eles recebem cada vez que trabalham bem. Os treinadores usam alguns marcadores, como palavras de incentivo e "clicker" de treinamento, um aparelho utilizado no adestramento que produz um som sempre que o animal executa bem a cena.

"Todas as cenas são muito bem treinadas antes. É como se fosse um ator decorando o texto. E a cada comando bem executado eles recebem uma recompensa, chamamos de reforço positivo. Damos qualquer coisa que o animal goste muito, o importante é achar a motivação de cada animal e trabalhar em cima disso. Pode ser desde a simples ração até algum brinquedo específico", conta Anderson.

"Uma boa comunicação com o animal, livre de qualquer punição, paciência e persistência são os pilares pro sucesso das gravações", completa.

Patricia Rober/Divulgação
Anderson Gonsales é adestrador dos gatos de "O Sétimo Guardião" Imagem: Patricia Rober/Divulgação

No Brasil não existe nenhuma lei que regulamente horário dos animais no set, por isso, alguns defensores lutam para que isso não demore para acontecer. Enquanto isso, as empresas responsáveis se esforçam para oferecer conforto aos animais durante a espera para gravação.

"Temos uma estrutura enorme que levamos conosco sempre pensando no bem-estar dos animais. Tem um local para brincarem, caminhas, diversos petiscos naturais, caixinha de areia, fonte de água... Antes da cena, conversamos com a equipe no intuito de esclarecimento relacionado a barulhos, movimentações. Todos entendem e respeitam o fato de os gatinhos estarem em trabalho e precisarem de momento de descanso e respeito", explica o adestrador.

"Demos muita sorte que o diretor geral da novela, Rogério Gomes, é um amante de gatos, entende e respeita as limitações de cada animal. Está sendo uma honra poder trabalhar em parceria com uma equipe que respeita e entende a fisiologia deles", completa.

Gatos são mais difíceis

Patricia Rober/Divulgação
Os gatos da raça Bombay foram importados dos Estados Unidos para "atuarem" na próxima novela da Globo "O Sétimo Guardião" Imagem: Patricia Rober/Divulgação

Os gatos são animais bem mais difíceis de adestrar do que cachorro. As dificuldades das cenas da novela de Aguinaldo Silva acabam sendo mais complexas para a equipe. Em uma delas, por exemplo, conforme o autor narrou, um gato atravessa na faixa em meio aos pedestres na Avenida Paulista, de repente, ele para, olha um instante para o carro dentro do qual o personagem de Bruno Gagliasso espera o sinal abrir e segue a travessia sempre na faixa.

"A cena foi gravada exatamente como descrita pelo autor. Sobre a concentração, por se tratarem de felinos, é um pouco mais complicado manter o foco. Tudo é feito com muito reforço positivo e sem qualquer tipo de punição, facilita muito a comunicação", diz Anderson.

O treinador explica que qualquer animal está apto ao aprendizado. "Basta entender a fisiologia e as características de cada animal e, em cima disso, aplicar as técnicas de adestramento. O cão está sempre disposto a cooperar, mas estamos tendo excelentes resultados com os gatos nessa novela. Todos os fatores influenciam, tempo de trabalho, técnica utilizada, muita paciência e persistência. Sempre respeitando os limites do animal", conclui.

A produtora também é a responsável pelo treinamento de mais um gato e um cachorro para a próxima novela das 18h, "Espelho da vida".

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!