PUBLICIDADE
Topo

Famosos

Aos 51, Ingra Lyberato posa nua e lembra tabu com o corpo: "Perdi o pudor"

Ingra Lyberato posa para o ensaio artístico "Pele Project" - Reprodução/Instagram
Ingra Lyberato posa para o ensaio artístico "Pele Project" Imagem: Reprodução/Instagram

Felipe Pinheiro

Do UOL, em São Paulo

11/09/2018 04h00

Ingra Lyberato, como ela diz, perdeu a vergonha. Aos 51 anos, a atriz posou sem roupa para o ensaio "Pele Project", que reúne fotos de artistas nus como Reynaldo Gianecchini, Bianca Rinaldi, Sabrina Sato, Kayky Brito, entre outros.

Há cerca de um mês, Ingra aceitou participar do projeto do fotógrafo Brunno Rangel e do diretor criativo Marcelo Feitosa que tem como lema "por debaixo da roupa somos todos pele".

Ingra Lyberato fez uma participação especial em "Segundo Sol" - Raquel Cunha/Divulgação - Raquel Cunha/Divulgação
Ingra Lyberato fez uma participação especial em "Segundo Sol"
Imagem: Raquel Cunha/Divulgação
"A ideia é não se proteger -- se revelar, se mostrar. É não ter vergonha do nosso corpo e isso tem muito a ver comigo. Cada vez tenho menos pudor com o corpo", diz a atriz, que recentemente interpretou a traficante Fátima na novela "Segundo Sol", da Globo.

Para o Instagram, ela diz que escolheu publicar uma foto que revelasse um pouco menos de seu corpo para evitar que o post fosse removido conforme prevê o regulamento da rede social.

Ingra diz que a maturidade só lhe fez bem e acredita que seu processo de redescoberta no rompimento de tabus aconteceu naturalmente: "Quando tinha 20 anos, eu não me aceitava tanto quanto hoje. Eu era perfeita e enxergava um monte de defeitos. É muito doido isso. Acho que é o processo de aceitação e não aceitação de si. É a imaturidade de não entender bem onde está o meu valor".

"Meu corpo é lindo, mas não como eu tinha 20 anos, é óbvio. Mas acho lindo porque é um corpo que me trouxe até aqui. É saudável, meu parceiro e me leva para tudo que é lugar. Essa é a beleza que eu vejo. É o lugar que eu habito. Hoje a beleza para mim é menos materialista. É muito mais o que significa. É um pouco abstrato, mas muito mais real", afirma ela.

Protagonista da novela "A História de Ana Raio e Zé Trovão", da Rede Manchete, em 1990, a atriz se recorda que recusou convites para ensaios nus quando era mais nova. Embora pense de forma diferente, Ingra pondera:

"Hoje não tenho mais pudor. Fico mais preocupada com o pudor dos outros. É importante saber o limite para não ser agressivo com quem tem o seu pudor. É a escolha de cada um. Já venci isso. Se minha nudez estiver a serviço de uma cena ou de um projeto como esse estou bem tranquila".

Ingra Lyberato com Almir Sater em cena de "A História de Ana Raio e Zé Trovão" - Divulgação e Montagem/UOL - Divulgação e Montagem/UOL
Ingra Lyberato com Almir Sater em cena de "A História de Ana Raio e Zé Trovão"
Imagem: Divulgação e Montagem/UOL
 

Mãe de um menino de 15 anos, fruto de seu antigo casamento, ela diz que o adolescente não se opõe a trabalhos artísticos seus que tenham nudez.

"O meu filho está super acostumado. Em maio fiz a capa de um revista gaúcha sem roupa. O pai dele, que é músico, acabou de fazer uma capa de disco e ele também está nu -- com uma guitarra na frente. Meu filho não liga para essas coisas. Não temos esse tabu da nudez. Ele sabe que eu não tenho a menor vergonha", ressalta.

As fotos de Ingra Lyberato e outras personalidades farão parte de um livro do "Pele Project", com lançamento previsto para dezembro deste ano.

Famosos