PUBLICIDADE
Topo

Televisão

"Não houve perdão", diz Paolla Oliveira sobre cinegrafista que vazou fotos

Paolla Oliveira  - Globo/Paulo Belote
Paolla Oliveira Imagem: Globo/Paulo Belote

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

17/09/2018 14h47

Paolla Oliveira disse que não perdoou o cinegrafista que vazou fotos suas seminua, em março deste ano, nos bastidores de "Assédio", minissérie da Globo, que estará disponível no Globoplay nesta sexta-feira (21).

"O processo está correndo, aquilo foi uma coisa totalmente burocrática e não houve perdão, não tem por que ter. Se eu faço uma coisa eu assumo, você também, é que o processo foi junto com a Globo, porque a emissora também foi prejudicada nisso. Então é uma questão empresarial, não sou eu que toco, é a TV Globo", disse a atriz, no evento de lançamento da minissérie, nesta segunda-feira (17), nos Estúdios Globo, no Rio. 

Em "Assédio",  Paolla é Carolina, advogada, paciente de Roger (Antonio Calloni),  que se envolve com o médico e se torna amante e futura esposa dele. 

"Não é sobre sexo, o erótico, o fetiche, é sobre dor, é frio, é duro. É muito maior sobre a expectativa de quem vai ver querendo algo a mais", explicou a atriz.

A série, de Maria Camargo, é livremente inspirada no livro "A Clínica: a Farsa e os Crimes de Roger Abdelmassih", de Vicente Vilardaga. O ex-médico, especialista em reprodução humana, abusou sexualmente de muitas pacientes enquanto estavam sob efeito de sedativos.

"Qualquer tipo de invasão a gente reconhece. A série fala do assédio num nível muito alto. E ele pode começar bem antes. Qualquer nível de invasão acaba que a gente se coloca na posição dessas mulheres", completa Paolla.

Televisão