PUBLICIDADE
Topo

Televisão

Ex-BBB Emilly diz que fama atrapalha affairs: "Boys não chegam, têm receio"

Emilly Araújo, vencedora da edição 2017 do "Big Brother Brasil" - Paulo Belote/Globo
Emilly Araújo, vencedora da edição 2017 do "Big Brother Brasil" Imagem: Paulo Belote/Globo

Jonathan Pereira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

10/10/2018 00h39

Emilly Araújo falou como está sua vida um ano e meio após vencer o "Big Brother Brasil 17". No "Luciana By Night" de terça-feira (9), ela comentou como lida com os haters, a saudade da mãe e o quanto ter ficado conhecida atrapalha na hora de conhecer alguém para quem sabe ter um romance.

"Os boys não chegam, eles se sentem intimidados. Acho que, porque sou uma pessoa pública, ficam com receio de socializar. Não dá mais para conhecer ninguém no restaurante, se tira uma foto [vira] novo affair. Tu nem conhece o cara, pode ser um escroto que você sai pela primeira vez", argumenta.

Porém, a ex-BBB garante que não é de passar vontade."Nunca levei um fora. Todos os caras que fiquei deram em cima de mim", orgulha-se, afirmando também que muitas vezes, quando está acompanhada, não é de pretendentes. "Meus amigos gays são lindos, quem me vê com eles e não sabe diz: 'cada dia está com um'".  

Emilly conta que não bloqueia quem a xinga na internet. "Eu aprendi a monetizar os haters. Você pede para a assessoria recusar tudo o que eles mandam, retirar o que eles falam para você não ter acesso e não ver, mas deixa eles ali, dando visualização e engajamento. Tudo eu procuro monetizar".

Vida pós-BBB

Sem tocar no nome de Marcos Harter,  a ex-BBB disse como foi após sair do programa. "Procurei nem saber o que apareceu na TV aberta. Muita gente viu no pay-per-view quem eu sou de verdade. Uns 10 dias depois que saí me bateu uma bad gigante por causa da minha mãe. Me isolei, fiquei um tempo off. Minha família se uniu, ficou no quarto dormindo comigo". 

Ela e a irmã, Mayla, perderam a mãe pouco antes do confinamento. "Foi a pessoa mais forte que conheci. Perdi a razão da minha vida e, sem sombra de dúvidas, ela tem total influência em tudo o que acontece de bom na minha vida"emociona-se.

"Cinco dias depois de perder minha mãe fui procurar emprego, não tinha estudo, ia trabalhar em supermercado, aí apareceu a oportunidade [de entrar no 'BBB']". Foi um pouco traumático, mas me abriu muitas portas. O confinamento me tirou do fundo do poço, literalmente. Já passei pela pior coisa da minha vida, então o que vier hoje eu encaro". 

Emilly explicou ainda o que a levou a recusar entrar em "A Fazenda". "Não é o momento. Estou trabalhando tanto aqui fora, não teria sentido mais exposição.

Televisão