Topo

Famosos

Apresentador detona Roger Waters: "Não faça política aqui, estrangeiro!"

Montagem/Reprodução/Instagram/richardselvagem/Reinaldo Canato/UOL
Richard Rasmussen (à esquerda) ficou "pistola" com o protesto de Roger Waters contra Jair Bolsonaro Imagem: Montagem/Reprodução/Instagram/richardselvagem/Reinaldo Canato/UOL

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

11/10/2018 14h43

O apresentador Richard Rasmussen ficou "pistola" com seu agora ex-ídolo Roger Waters. O ex-baixista e compositor do Pink Floyd chamou o presidenciável Jair Bolsonaro de "neofascista" em seus dois shows no Allianz Parque, em São Paulo, e deixou o fã brasileiro tão irado que resolveu compartilhar sua revolta nas redes sociais.

Em uma série de stories publicados no Instagram, Rasmussen mandou vários recados para Waters, como "Aqui você não vem fazer política não, estrangeiro! O Brasil é nosso!". Em seguida, comemorou que o Brasil é um país democrático e reservou seu direito de manter voto secreto, "A questão não é se eu sou pró-Bolsonaro ou pró-Haddad", explicou.

Rasmussen não disse se estava no show, embora também tenha publicado um vídeo gravado dentro do Allianz Parque com espectadores gritando "Mito", apelido dado por eleitores a Bolsonaro, em resposta à manifestação do músico no telão do espetáculo.

"Total decepção. Eu escuto Roger Waters e Pink Floyd antes mesmo do que a maioria das pessoas que pode votar, com 16, 18 anos. Eu tenho 48 e escuto desde essa idade. Comprei um ticket para o show. Vou rasgar", avisou Rasmussen na rede social.

"A questão não é se eu sou pró-Bolsonaro ou pró-Haddad. Não importa. Eu tenho minha opinião, obviamente política nesse momento, para mim é a escolha entre dois caras em que eu não gostaria de votar, mas é o que nós temos. Vou escolher democraticamente quem eu quiser. Foda-se, eu que escolho o meu presidente", prosseguiu o apresentador.

"O fato é que o cara não pode, morando lá fora, que nem um cara internacional, eu não sei se ele soube o que fez ou alguém da produção deu um jeito de colocar. O fato é que aqui você não vem fazer política, não! Estrangeiro! Desculpa, o Brasil é nosso! Eu moro aqui, criei meus filhos aqui, pago meus impostos aqui. Ninguém de fora que não seja brasileiro tem o direito de falar porra nenhuma nesse nosso país. Chega! Que é isso? Estão loucos? Rasguei meu ticket, mano! Perdeu um fã!", criticou.

"E antes que alguém venha com mimimi, grave bem essas palavras: este é um país democrático, eu escolho em quem eu quiser votar, não importa. Ok? E meu voto é secreto, graças a Deus. Pelo menos esse direito eu tenho. Beleza? Vamos em frente! Tô puto da cara com isso, mano! Tô puto, mano! Imagina, cara! Nem para um, nem para outro! Você não tem esse direito, em um show que nós pagamos, de fazer política!", concluiu Richard.

Newsletters

Mauricio Stycer traz análises exclusivas sobre TV e Famosos.

Quero receber