Topo

O Sétimo Guardião

Theodoro Cochrane sofrerá com personagem homofóbico de Zé Loreto em novela

João Cotta/Globo
Adamastor, personagem de Theodoro Cochrane, sofrerá com o homofóbico Junior (José Loreto) em "O Sétimo Guardião" Imagem: João Cotta/Globo

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

26/10/2018 04h00

Theodoro Cochrane, filho de Marília Gabriela, está no elenco de "O Sétimo Guardião", próxima novela das nove, de Aguinaldo Silva, que estreia dia 12 de novembro na Globo. Ele será Adamastor Crawford,  braço direito de Ondina (Ana Beatriz Nogueira), dona do bordel da cidade fictício Serro Azul.

O personagem sofrerá com as ofensas de Junior, vivido por José Loreto, playboy da cidade, filho do prefeito Eurico (Dan Stulbach), mas não levará desaforo para casa. Theodoro desconfia que no fundo os dois sejam apaixonados.

"É uma cidade pequena e ele sofre muito bullying por ser um homem muito elegante. Frequentemente pessoas questionam a sexualidade dele, mas ele não leva desaforo para casa. Ele sofre um pouco com isso, para se aceitar do jeito que é, se é gay ou não é, se ele é apaixonado por um bad boy da cidade, que é extremamente homofóbico."

"A gente sempre fala que quando as pessoas têm um embate muito grande, no fundo, têm uma atração. Ele briga muito com as pessoas, em especial com o bad boy da cidade. Entre um capítulo e outro, eles saem quase na porrada, mas nunca se sabe se afinal eles vão se bater ou se vão dar um beijo na boca", brinca o ator de 39 anos.

Loreto admite preocupação em não tornar as ofensas de seu personagem contra ao de Theodoro fortes a ponto de polemizarem com o público. "Fico com muito medo. Ele mostra ser um cara homofóbico. Tem o Adamastor que ele fica chamando de gazela, de gay, implicando... Tento fazer o que é errado, mas é perdoado pelas pessoas. Ao invés de eu ser agressivo com o Adamastor, tento fazer no humor... Faço isso para ser engraçadinho, é tão agressivo quanto, mas para as pessoas ainda fica uma coisa de: 'Ah, ele está brincando'."

Apesar do clima de raiva entre os personagens, Theodoro está curtindo a parceria em cena com Loreto, que não conhecia antes da novela. "Ele é uma doce criatura. Tem sido divertidíssimo contracenar com ele. A gente tem muita cena física e poderia cair para o humor... A gente faz coisas engraçadas, temos muita vontade de rir, acho que a melhor coisa é essa, você estar em cena e ter vontade de rir, de tão leve que é tudo. São cenas muito grandiosas", conta.

Bandeira contra a homofobia

Adamastor, segundo o ator, pode ajudar o público a levantar a discussão da diversidade sexual. "Estamos num momento muito delicado para abordar certos assuntos, mas, antes de mais nada, a sensação que temos é que vamos voltar, regredir alguns passos que a gente lutou durante tantos anos para serem aceitos. Ao mesmo tempo, acho que é uma bandeira importante que o personagem levanta contra a homofobia", diz,

"O personagem da diversidade sexual no horário das nove, definitivamente sempre atrai uma atenção para essa discussão que já é mais do que antiga, mas, infelizmente, ainda é muito presente na nossa vida. A gente têm candidatos que defendem certas opiniões polêmicas, porém sou e acho que o personagem é o defensor do amor, da aceitação e da liberdade de expressão. Acho muito importante estar levantando essa bandeira, bem como tantas outras bandeiras que essa novela vai levantar", completa.