Topo

Famosos

"Falo o que penso e pago preço alto por isso", diz Eduardo Costa

Reprodução/Instagram/eduardocosta
Eduardo Costa faz reflexão em transmissão ao vivo Imagem: Reprodução/Instagram/eduardocosta

Gilvan Marques

Do UOL, em São Paulo

08/11/2018 20h16

Através de uma transmissão ao vivo, realizada em suas redes sociais na manhã desta quinta-feira (8), o sertanejo Eduardo Costa disse pagar um preço muito alto por falar aquilo que pensa.

"Eu sou um cara visceral, falo o que eu penso e, muitas vezes, pago um preço alto por isso (...) Não sou um cara hipócrita. São coisas que saem. Eu tento corrigir, mas sai", lamentou ele. "Eu pretendo melhorar um pouco mais, ser menos assim. Eu sou um cara extremamente temente a Deus. Me preocupo muito com o que Deus pensa sobre mim", completou.

Eduardo Costa está gravando um disco gospel --ele prefere usar o termo cristão. Durante a conversa com seguidores, o cantor fez uma autocrítica sobre o seu comportamento no dia a dia.

"Eu sempre falo: 'vamos evitar críticas'. A desonestidade está em você falar mal das outras pessoas, levantar falso testemunho. 'Eduardo, você fala mal dos outros?' Falo, mas pretendo melhorar", prometeu o cantor. 

A reflexão aconteceu poucas horas depois do sertanejo disparar na internet xingamentos e ameaças contra Fernanda Lima --a apresentadora havia feito um duro discurso contra o conservadorismo e avisou que "a revolução estava apenas começando", durante o programa "Amor & Sexo".

"Mais de 60 milhões de brasileiros e brasileiras votaram no Bolsonaro e agora essa imbecil com esse discurso de esquerdista! Ela pode ter certeza de uma coisa, a mamata vai acabar, a corda sempre arrebenta pro lado mais fraco e o lado mais fraco hoje é o que ela está. Será que essa senhora só faz programa pra maconheiro, pra bandido, pra esquerdista derrotado, e pra esses projetos de artista assim como ela?", reagiu Costa, indignado.

Discurso contra o conservadorismo

Na edição de terça, Fernanda Lima fez um duro discurso contra o conservadorismo e avisou que "a revolução está apenas começando". 

"Chamam de louca a mulher que desafia as regras e não se conforma. Chamam de louca a mulher cheia de erotismo, de vida e de tesão. Chamam de louca a mulher que resiste e não desiste. Chamam de louca a mulher que diz sim e diz não. Não importa o que façamos, nos chamam de louca. Se levamos a fama, vamos sim deitar na cama. Vamos sabotar as engrenagens desse sistema de opressão.

Vamos sabotar as engrenagens desse sistema homofóbico, racista, patriarcal, machista e misógino. Vamos jogar na fogueira as camisas de forças da submissão, da tirania e da repressão. Vamos libertar todas nós e todos vocês. Nossa luta está apenas começando. Preparem-se porque essa revolução está apenas começando".

Depois, diante de tamanha repercussão, a apresentadora agradeceu o carinho do público e comemorou o debate gerado com o suas palavras:

"Gostaria de agradecer o carinho das pessoas que têm se manifestado positivamente em relação ao programa que foi ao ar na última terça-feira, sobre a mulher. Estou recebendo muito amor e com isso renovando minhas energias para seguir a caminhada [...]."