Topo

O Sétimo Guardião

Prostituta é curada de gagueira após violência e revolta especialistas

Reprodução/Globo
Stefania (Carol Duarte) sofre estrangulamento de Sampaio (Marcello Novaes) Imagem: Reprodução/Globo

Carolina Farias

Do UOL, no Rio

27/11/2018 04h00

Uma cena exibida no capítulo do último sábado (24) em "O Sétimo Guardião" causou revolta entre fonoaudiólogos. A sequência polêmica mostrou a garota de programa Stefania (Carol Duarte) ser "curada" da gagueira ao ser estrangulada por Sampaio (Marcello Novaes). O vilão queria arrancar da prostituta o por que do interesse dela por ele.

Na cena seguinte, Stefania é confrontada pela cafetina Ondina (Ana Beatriz Nogueira) sobre a conversa com o agressor. "Ficou tão apavorada que ficou boa da gagueira", diz Ondina para Stefania, que também se surpreende com sua "nova" condição e conversa com o espelho.

"O rato roeu a roupa do rei de Roma. Eu não errei nenhum erre. Eu tô curada", fala para o espelho.

Em suas páginas no Facebook, o Conselho Federal de Fonoaudiologia, o Crefono2 (Conselho Regional de Fonoaudiologia de São Paulo) e a AbraGagueira (Associação Brasileira de Gagueira) repudiaram a sequência de cenas.

"Apesar de sabermos que a obra é ficcional a cena veiculada é bastante equivocada e desrespeita, de maneira irresponsável os sujeitos que apresentam gagueira (...). A gagueira tem tratamento e se feito de forma competente apresenta resultados extremamente promissores, minimizando danos emocionais e sociais. Nesse sentido, afirmamos: não se cura gagueira com susto ou violência e muito menos com agressão", informou a nota do conselho federal, que teve aproximadamente 4.000 compartilhamentos.

De acordo com o órgão, a gagueira é considerada pela ciência um transtorno de fluência da fala acomete em torno de 5% da população brasileira - cerca de 10 milhões de pessoas.

"Usualmente, pessoas que gaguejam apresentam dificuldade em suas relações sociais, comprometendo seu desempenho escolar e/ou profissional. Abordar o assunto desse modo, além de desrespeitoso, é banalizar diversos sofrimentos. É perpetuar uma crença equivocada e nociva à sociedade", diz o conselho.

O Crefono2 ainda apontou que a cena reforça o estereótipo de que a gagueira pode ser curada com agressões e expõe essas pessoas à violência.

"O resultado do estrangulamento apresentado pela novela não só atribui um sentido positivo ao crime de agressão, como também reforça fundamentos não científicos e expõe as pessoas com gagueira a graves situações de violência que, eventualmente, já podem ser vivenciadas no seu cotidiano. As pessoas com gagueira devem ser tratadas com respeito e não violência."

O órgão vai cobrar medidas da emissora. "A Rede Globo utiliza uma concessão pública e deve agir com responsabilidade diante da sociedade civil. Iremos tomar medidas para exigir que seja feita uma retratação que possa minimizar esse grave equívoco."

Em sua manifestação de repúdio, a AbraGagueira informou que no dia 1º de novembro encaminhou um ofício à Globo na qual já apontava para a emissora uma abordagem correta da gagueira de Stefania.

"Nos colocamos à disposição para auxiliar no que fosse necessário, subsidiando assim a produção da novela das informações necessárias para que a personagem realizasse correta, esclarecedora e produtiva abordagem sobre a gagueira. Manifestações artísticas devem incitar o acúmulo de conhecimento e aguçar a capacidade de reflexão, não contribuir com a ignorância", aponta o manifesto, postado no Facebook e compartilhado cerca de 1.200 vezes.

A reportagem do UOL procurou a assessoria de imprensa da Globo na noite de segunda-feira (26). Na tarde desta terça (27), a Comunicação da Globo enviou a seguinte nota: 

"'O Sétimo Guardião' é uma obra de realismo mágico. Vale ressaltar ainda, como registramos ao final de cada capítulo, que novelas são obras de ficção sem compromisso com a realidade'".