PUBLICIDADE
Topo

Televisão

"Muita gente puxou meu tapete", revela Miguel Falabella

Tatá Werneck e Miguel Falabella - Juliana Coutinho/Multishow/Divulgação
Tatá Werneck e Miguel Falabella Imagem: Juliana Coutinho/Multishow/Divulgação

Jonathan Pereira

Colaboração para o UOL

29/11/2018 06h48

Miguel Falabella comentou momentos de sua carreira no "Lady Night" de quarta-feira (28). O ator contou alguns hábitos peculiares e reconheceu que já deu trabalho aos colegas - mas que também já teve seu tapete puxado. 

Sem citar nomes, ele confessa que atrizes geniosas passaram por seu caminho. "Várias, as mais insuportáveis. Trabalhei com todas". Mas que já se deu mal também. "Muita gente puxou meu tapete. Fui sacaneado, falaram 'acabou', e eu: 'não vou ficar em casa, vou me reinventar'".

Falabella admitiu: "Já fui muito insuportável, ao ponto de chegar em casa e telefonar para pedir desculpa. Houve uma época em que fui muito maltratado romanticamente, fui sacaneado, chifrado, e estava gravando a novela 'Cara & Coroa' [1995]. Estava muito infeliz", confessa, relembrando que recebeu conselhos de seu par romântico.

"Fazia o marido da Maitê Proença. Ela foi tão bonita comigo... Estávamos gravando em uma lancha em alto-mar, a câmera em outra lancha. Ela sentada, de repente olhou para mim e falou 'Miguel, está tão insuportável trabalhar contigo, porra, pelo amor de Deus, faz alguma coisa, fica duro acordar de manhã, muito difícil trabalhar junto. Vou te dar um conselho: esquece essa história, se você não pode querer bem, não queira nada, olhe através'".

Para ter tanto pique como ator, diretor, escritor e apresentador, há uma receita inusitada. "Tomo caldo de rã todo dia de manhã, não é folclore. Tomo há 30 e tantos anos. Eu fervo ela, parece que as propriedades dela estão na cartilagem. Raramente fico doente, tenho muita energia, trabalho pra cacete".

O Caco Antibes de "Sai de Baixo" não ficou de fora do papo. "Chamaram outros atores que declinaram, não quiseram fazer o Caco Antibes. Pedi ao [diretor] Daniel Filho, 'deixa eu fazer um teste, eu conheço esse cara, sei como ele é', ele falou 'vamos tentar'. Deu certo, graças a Marisa Orth, é uma das maiores atrizes deste país".

O ator acredita que a sitcom cumpriu seu tempo na TV. "Foram sete anos, [está] de bom tamanho, Se tivéssemos insistido, íamos começar a nos repetir feio e essa saudade não existiria".

Falabella defendeu ainda a Lei Rouanet - criticada esta semana por Alexandre Frota. "As pessoas ficam falando besteira da Lei Rouanet. Tem coisas erradas? Tem sim, mas como um todo, é uma merda? Não é, não. Bem usada, ela é maravilhosa, 10% dos ingressos são destinados a pessoas que jamais foram um teatro, crianças que nunca viram um fenômeno teatral. Como eu, que tive uma avó que me levou e mudou minha vida".
 

Televisão